Notícias /

Diretora do Cedeba fez ampla apresentação para a delegação do Haiti

11/12/2017 16:08

A delegação do Haiti, que visita o Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba) até quarta-feira (13) para conhecer as experiências na prevenção e assistência ao diabetes, foi recebida pela fundadora e diretora Reine Chaves, que fez ampla e detalhada apresentação sobre a importante unidade da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab).

A apresentação mostrou como o Cedeba se insere na Rede de Atendimento ao Diabetes no Estado da Bahia no âmbito do SUS, que responde pela assistência a 70% da população brasileira. A diretora do Cedeba destacou que no Brasil, desde 2006, a legislação assegura medicamentos e insumos para o tratamento do diabetes por meio de financiamento tripartite (União, estados e municípios).

A Bahia

Reine Chaves apresentou dados sobre a Bahia e Salvador, capital que apresenta o segundo maior percentual de diabetes do Nordeste e a quarta no ranking das capitais brasileiras. O percentual de 7,8 % de diabéticos na população maior de 40 anos, enquanto na população adulta em geral é de 5,4%.

Como Centro de Referência – pontuou – o Cedeba que tem 75 mil pacientes matriculados, sendo 56 mil com registros ativos, possui critérios para a matrícula de pacientes. Por ano são 1,5 mil novos casos de diabetes.

A diretora do Cedeba mostrou a evolução do Cedeba nos seus 23 anos. Do inicio do seu funcionamento no Hospital Roberto Santos para a sede no Rio Vermelho, até a sede atual desde 2003, mas que já se tornou pequena diante da demanda. Ela explicou como funciona a Rede Hierarquizada de Atendimento ao Diabetes no Estado da Bahia, começando nos Distritos Sanitários da Atenção Básica.

Mostrou os critérios para matrícula no Cedeba, o crescimento da demanda e a importâncias das policlínicas que o Governo do Estado/Sesab está implantando no interior da Bahia para a descentralização da assistência.

A diretora do Cedeba ressaltou a importância das parcerias do Cedeba com a Organização Mundial de Saúde/Organização Panamericana de Saúde (OPAS), World Diabetes Foundation e Centro Internacional de Diabetes (IDC) na implantação de protocolos clínicos.

Essas parcerias foram decisivas para o Cedeba começar em 1998 com programas de qualificação do cuidado para o paciente diabético. Primeiro com o Projad, Prodiba e depois o Proced que chegou este ano ao quinto módulo e até 2019 atingirá 79 unidades sentinelas de 16 municípios da Bahia e fará a monitoração de 11 unidades sentinelas dos módulos III e IV.

Na apresentação, a diretora mostrou toda a assistência que o Cedeba presta na área da Endocrinologia, as especialidades que oferece e a importância da assistência multidisciplinar.

No encerramento da apresentação, a diretora do Cedeba destacou a importância da educação na assistência que o Cedeba oferece por meio de ferramentas educativas. O vasto material que a equipe do Cedeba produziu ao longa da sua história, como cartilhas, jogos, folders despertou grande interesse da missão que terá a oportunidade de verificar a utilização desses materiais pelas pessoas atendidas no Cedeba.

Nesta terça-feira, pela manhã, os integrantes da missão terão uma exposição sobre “Olho Diabético e seus cuidados” pela oftalmologista Tessa Mattos, seguindo-se visita ao Ambulatório Multidisciplinar de Oftalmologia. À tarde, visita ao Ambulatório Multidisciplinar de Diabetes Tipo 2. Em seguida, a coordenadora de Planejamento do Cedeba faz exposição sobre “Protocolos Clínicos para Assistência ao Diabetes na Atenção Primária da Saúde”.

 Ascom Cedeba
/cedeba/Haiti visita

Notícias relacionadas