Notícias /

Ministério da Saúde e Bahiafarma assinam termo para produção de insulina

18/12/2017 15:18
Ministro Ricardo Barros e diretor-presidente do laboratório baiano, Ronaldo Dias, selam acordo durante reunião do Grupo Executivo do Complexo Industrial da Saúde (GECIS)
 
O ministro da Saúde, Ricardo Barros, o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Marco Fireman, e o diretor-presidente da Bahiafarma, Ronaldo Dias, assinaram, na tarde desta quinta-feira (14), o Termo de Compromisso da Parceria para o Desenvolvimento Produtivo (PDP) do laboratório publico baiano para produção e distribuição de insulina no País. O acordo foi firmado durante a 14ª Reunião do Grupo Executivo do Complexo Industrial da Saúde (GECIS), realizada em Brasília.
“A PDP para produção de insulina é um marco para a indústria fármaco-biotecnológica do Brasil”, comemora Dias. “O País passará a ser um dos poucos do mundo a ter domínio da tecnologia para produção desse medicamento, que até hoje é importado. Isso terá impacto imediato não apenas para o Sistema Único de Saúde (SUS), mas para os milhões de portadores de diabetes do Brasil.”
A assinatura do termo de compromisso é mais uma etapa do processo iniciado em fevereiro deste ano, quando foi publicada, no Diário Oficial da União, a Portaria número 551, que definia redistribuição dos projetos de PDPs para produção do medicamento no País e indicava a Bahiafarma como um dos fornecedores de insulinas ao SUS. Em 3 de agosto, por meio da Portaria 1.993, publicada no Diário Oficial da União, o ministério aprovou o projeto de produção de insulinas da Bahiafarma, que passou a estar apta a fornecer o medicamento ao SUS.
Para a produção de insulinas, a Bahiafarma tem como parceiro o laboratório ucraniano Indar, um dos líderes mundiais na produção de insulinas. “É uma empresa que atua exclusivamente em pesquisa e produção de insulinas há mais de 15 anos e é reconhecida por utilizar tecnologias inovadoras, além de realizar operações em diversos países”, ressalta Ronaldo Dias.
A parceria entre Bahiafarma e Indar prevê a instalação da fábrica de insulinas na planta da Bahiafarma em Simões Filho (BA), na região metropolitana de Salvador. “Uma fábrica de insulinas é uma unidade de alta tecnologia, que poucos laboratórios detêm, e estamos dando todos os passos para atingir a excelência na instalação desta unidade”, afirma o executivo. “A Indar tem todo o know-how para nos auxiliar neste processo, que vai resultar na mudança de patamar da indústria farmacêutica no Norte-Nordeste brasileiro, com atração e formação de mão-de-obra altamente qualificada.”

Reorganização de PDPs

O termo de compromisso entre a Bahiafarma e o Ministério da Saúde foi um dos 16 assinados pelo ministro Ricardo Barros durante a reunião do GECIS, frutos da reorganização realizada pelo Ministério durante o ano de 2017. Representantes dos laboratórios públicos Funed, Butantan, Tecpar e Biomanguinhos, além da Bahiafarma, assumiram o acordo para incorporação de tecnologia dos medicamentos Bevacizumabe, Adalimumabe, Insulina, Etanercepte, Infliximabe, Rituximabe, Trastuzumabe, Somatropina e Filgrastim.
Além desses laboratórios, outros estão sendo especializadas em sete plataformas: síntese química, hemoderivados, doenças raras, fitoterápicos, doenças negligenciadas, produtos para a saúde e medicina nuclear. O objetivo da especialização dos laboratórios públicos, por meio da Nova Política de Plataformas Inteligentes de Tecnologia em Saúde, é oferecer competitividade, escala de comercialização dos produtos e capacitação dos pesquisadores.

Bahiafarma

A Fundação Baiana de Pesquisa Científica e Desenvolvimento Tecnológico, Fornecimento e Distribuição de Medicamentos (Bahiafarma) é um laboratório farmacêutico público que tem como objetivo desenvolver e fornecer produtos, serviços e inovação tecnológica para a saúde pública do País. Integra a administração pública indireta do Poder Executivo do Estado da Bahia, vinculada à Secretaria da Saúde do Estado (Sesab). Tem como metas minimizar a dependência do Estado da Bahia da importação de produtos e tecnologia, atuando de forma competitiva e econômica para o Sistema Único de Saúde (SUS).

Notícias relacionadas