Notícias /

Simpósio promovido pela Sesab atualiza conhecimentos em arboviroses

22/02/2018 16:21

O I Simpósio sobre Doenças Emergentes e Reemergentes de Transmissão Vetorial do Estado da Bahia reuniu, durante toda a quinta-feira, 22, especialistas nacionais e internacionais no Auditório do Ministério Público da Bahia. O evento foi promovido pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep), da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab).

As apresentações trataram de febre amarela, malária, febre do mayaro e do oropouche, doenças transmitidas por mosquitos e classificadas como arboviroses.

“É fundamental um evento como esse para os profissionais se capacitarem ainda mais, para poder ter um conhecimento adequado nessas arborviroses emergrentes e reemergentes”, afirmou Antônio Bandeira, coordenador do Comitê de Arboviroses da Sociedade Brasileira de Infectologia.

Bandeira alertou para a importância da vacina para combater a Febre Amarela. “A doença mata uma em cada duas pessoas que ela contamina”, declara. “Já a taxa de complicações sérias para vacina é de uma a cada 500 mil pessoas vacinadas. A vacina protege”, completa.

Com mais de 40 anos estudando a febre amarela, Pedro Vasconcelos, pesquisador do Instituto Evandro Chagas, afirmou que os municípios – responsáveis pela imunização – devem sensibilizar a população para se vacinar. “Caso não haja adesão, eles devem tomar iniciativa para buscar as pessoas nas áreas mais remotas, as quais concentram a maioria da população suscetível à febre amarela”, afirmou. “O nosso medo é uma epidemia de Febre Amarela urbana. A última vez que ocorreu no Brasil foi em 1942, no Acre. Por isso é importante a vacinação”, conclui.

O simpósio também abordou as ações da Divep em Wenceslau Guimarães, cidade que registrou um surto de Malária este ano. “Em menos de 24h já tivemos a confirmação da doença e começamos a agir para evitar que ela se propagasse”, disse a diretora da Vigilância Epidemiológica Maria Aparecida Figueiredo.

A diretora do Laboratório Central de Saúde Pública Professor Gonçalo Muniz, o Lacen-Ba, Zuinara Gusmão, expôs as ações laboratoriais desenvolvidas na Bahia e destacou o a implementação dos exames para detecção de febre amarela e febre do mayaro.

O evento contou com as presenças do secretário de Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, e da superintendente de Vigilância e Proteção da Saúde (Suvisa), Rívia Barros.

 Ascom Suvisa
/vigisanit/simpósio