Notícias /

Bebês prematuros dispõem de Serviço de Estimulação Precoce no Iperba

05/03/2018 14:25

Criado em 1993, o serviço de Estimulação Precoce do Instituto de Perinatologia da Bahia (Iperba) vem mostrando resultados positivos no desenvolvimento de bebês que nasceram prematuros. O objetivo do serviço é fazer estímulos básicos, identificando e intervindo precocemente nos desvios do desenvolvimento sensório-motor (aspectos perceptivo, motor, intelectual, afetivo e social), seguindo as etapas de vida da criança.

Em 2017, o serviço realizou 2231 atendimentos de terapia ocupacional e fisioterapia, 1380 consultas com médico pediatra, 333 com neuropediatra e 108 de psicologia, além das atividades alternativas oferecidas pelos profissionais, como aula de yoga para bebês e oficina de brinquedos. Durante todo o ano, cerca de 700 crianças foram assistidas pela Estimulação Precoce.

Bebês considerados de risco

São encaminhados para a Estimulação Precoce recém-nascidos do Iperba considerados de risco: prematuros que nasceram com menos de 2500g, bebês que sofreram anóxia durante o parto (falta de oxigênio no cérebro) ou que tenham tido crises de convulsivas, bebês com paralisia obstétrica, além de recém-nascidos com síndrome genética diversas. Normalmente bebês com essas características tendem a ter um atraso no desenvolvimento motor e cognitivo. Eles demoram mais tempo para desempenhar atividades compatíveis à sua idade, como rolar e sentar.

Já na primeira consulta o bebê é avaliado e os pais passam a ser orientados quanto às posturas e manuseios adequados para o desenvolvimento do seu filho. Eles devem seguir as orientações em casa para estimular a visão, tato, audição e postura. Mês a mês são passadas novos exercícios para a família. “Aos dois meses o bebê deve ter determinadas habilidades, então a gente vai realizando e ensinando a mãe algumas atividades simples para que este bebezinho possa desenvolver estas habilidades. Se ele não atingir o patamar necessários entre três e quatro meses, a gente já começa a fazer um atendimento mais frequente com ele”, explica Márcia Pires, terapeuta ocupacional e coordenadora da Estimulação Precoce do Iperba.

Ainda de acordo com terapeuta, bebês prematuros que não tiveram estímulo nenhum podem vir a ter prejuízo futuros na parte da escolaridade, desenvolvimento da linguagem, coordenação e habilidade motoras.

O trabalho da equipe multiprofissional – composto por dois fisioterapeutas, quatro terapeutas ocupacionais, três pediatras, um neuropediatra, um psicólogo e um fonoaudiólogo – é estimular para que este bebê tenha o menor atraso possível de acordo com a fase do seu desenvolvimento, superando as dificuldades nas áreas de interação ou afetividade, linguagem, amamentação, sucção e deglutição. Além disso, se for percebido que a mãe também necessita de acompanhamento psicológico, ela é encaminhada para atendimento dentro da unidade.

As consultas acontecem, em sua maioria, uma vez por mês, variando de acordo com a necessidade de cada criança. Contudo, antes de serem encaminhados à Estimulação Precoce, os bebês recebem também assistência de fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais já na enfermaria.

Durante as sessões mensais, caso seja notado que a criança precise de um acompanhamento mais específico e continuado, ela é encaminhada para um serviço especializado na Rede de Saúde de Salvador, mas permanecem sendo acompanhados pelo Iperba até os três anos de idade. O Serviço de Estimulação Precoce do Iperba evita, assim, que haja uma sobrecarga nas unidades de saúde que realizam atendimentos mais complexos.

 Ascom Iperba
/iperba/estimulação precoce

Notícias relacionadas