Notícias /

Lacen realizou o I Encontro de 2018

09/03/2018 10:03

Com o objetivo foi o de fortalecer as ações de Vigilância Laboratorial desenvolvidas pelos laboratórios descentralizados e definir novas estratégias para melhoria contínua, com vistas a assegurar à população maior acesso aos exames de Saúde Pública para melhor controle e prevenção de agravos e doenças, com interesse na promoção à saúde, o Laboratório Central Gonçalo Muniz (Lacen) promoveu, no dia 21 de fevereiro, o I Encontro de 2018, reunindo coordenadores dos Laboratórios Municipais e Estadual de Referência Regional (LMRR/LERR) que compõem a Rede Estadual de Laboratórios de Saúde Pública (RELSP), na Bahia.

O encontro iniciou com uma exposição sobre o papel do Laboratório de Saúde Pública na Vigilância, com destaque para princípios e diretrizes concernentes à RELSP e o balanço do ano de 2017, realizada pela diretora do Lacen-BA, Zuinara Pereira Gusmão Maia, que esclareceu, dentre outras importantes questões o funcionamento do Sistema Nacional de Laboratório de Saúde Pública (Sislab).

Em seguida, o coordenador da CTIC (Coordenação de Tecnologia da Informação e Comunicação), Leonardo Penha, abordou a respeito da implantação do sistema nacional Gerenciador do Ambiente Laboratorial (GAL) apresentando o cronograma para a implantação do referido Sistema. Naquele momento, foram traçadas algumas estratégias essenciais, a fim de serem alcançadas as metas para o ano de 2018. Vale destacar que o Sistema em pauta, além de integralizar todo o Sistema Nacional de Laboratórios de Saúde Pública das Redes Nacionais de Laboratórios de Vigilância Epidemiológica e Vigilância em Saúde Ambiental, proporciona o gerenciamento das rotinas, o acompanhamento das etapas para realização dos exames/ensaios e a obtenção de relatórios produção/ epidemiológicos/analíticos nas redes estaduais de laboratórios de saúde pública.

Ao final do Encontro, a coordenadora da CGR (Coordenação de Gestão da Rede), Eliene Barreto, apresentou informes e reforçou alguns fluxos de investigação laboratorial que constam em Notas Técnicas, sobretudo para os agravos de hepatites virais e rubéola. Também nesta oportunidade, foram discutidas estratégias essenciais para o sucesso da descentralização e distribuição de insumos, e ainda, sobre a participação dos LMRR/LERR no Controle de Qualidade Externo (Ensaio de Proficiência).

 Fonte: Lacen
/lacen/encontro