Notícias /

Pesquisa do Creasi analisa perfil dos pacientes

04/06/2018 16:26

O envelhecimento populacional mundial é um fenômeno que vem sendo estudado pela Gerontologia e discutido pelos demógrafos. Fazendo parte desse contexto, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil apresenta também um aumento da população dos indivíduos com mais de 60 anos.

Acompanhando esse processo de envelhecimento, o Estado da Bahia possui há quase 20 anos, o Centro de Referência Estadual de Atenção à Saúde do Idoso (Creasi), unidade ambulatorial vinculada à Secretaria da Saúde do Estado, que atende às pessoas idosas que necessitam de assistência especializada em geriatria e/ou gerontologia, através de uma avaliação multidimensional.

O Centro foca numa abordagem que visa a manutenção ou recuperação da saúde física, mental e funcional, mantendo a pessoa idosa ativa nos contextos familiar e social, em consonância com as diretrizes da Política Nacional do idoso (1994), da Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa (2006) e da Política Estadual do Idoso (2013), no que tange às ações de saúde.

Apresentada pela servidora Diana Noronha, fisioterapeuta mestre em Medicina e Saúde, especialista em Fisiologia do Exercício e Treinamento Resistido na Saúde, na Doença e no Envelhecimento, em Gerontologia e em Ergonomia, a pesquisa irá analisar o perfil clínico-funcional e epidemiológico dos pacientes através de um estudo descritivo, retrospectivo e censitário, com delineamento transversal.

Para a coordenadora estratégica do Creasi, Renata Muniz Caires, o conhecimento aprofundado sobre o processo de envelhecimento e o perfil dos idosos assistidos possibilitará a elaboração de estratégias para o tratamento e gerenciamento dos pacientes, atentando para os fatores de risco, evitando a exposição a condições agravantes. “Dessa forma, serão gerados menos custos públicos e podem ser desenvolvidas políticas públicas para a prevenção, promoção e reabilitação da saúde das pessoas idosas, prioritariamente, frágeis”, ressaltou a coordenadora.

Ascom do Creasi
Idoso/pesquisa

Notícias relacionadas