Notícias /

Dia de Enfrentamento à violência Contra a Mulher: Hospital da Mulher debate tipos de violência e como procurar ajuda

13/11/2018 15:35

O Dia Estadual de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher no Estado da Bahia foi marcado por ações promovidas pelo Hospital da Mulher (HM) em parceria com a Secretaria de Política para as Mulheres (SPM-BA), em Salvador.

Na manhã desta terça-feira (13), no hospital, pacientes de todos os municípios assistiram palestras que abordaram os Tipos de violência contra a mulher e o que fazer em casos de agressão. Já na Avenida Tancredo Neves, pessoas que transitavam pelo local foram abordadas e puderam saber mais a respeito do AME, Serviço de Atendimento às Mulheres Expostas à Violência Sexual do HM.

Com a presença da Secretária de Políticas para as Mulheres (SPM), Julieta Palmeira, e da presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara Municipal, Aladilce Souza, a palestrante e tenente da Ronda Maria da Penha, Cristiane Alves, destacou a necessidade de conscientizar homens e mulheres acerca da violência. “O diálogo com a comunidade e com a sociedade se faz necessário para que todos possam se sentir partícipes no processo de rompimento do ciclo da violência”, pontuou.

No dia 30 de outubro o governador do estado da Bahia, Rui Costa, sancionou o dia 13 de novembro como o Dia Estadual de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher no Estado da Bahia. A partir de então, a data será celebrada todos anos. “Este dia realmente é uma conquista das mulheres, porque dá visibilidade à luta das mulheres contra a violência e dá visibilidade ao fato de que as mulheres querem ser tratadas como iguais e com dignidade, como cidadãs que são”, afirmou. “Por isso, nada melhor do que comemorar aqui no Hospital da Mulher, porque este hospital tem porta aberta para o atendimento multiprofissional e humanizado às mulheres em situação de violência”, assegurou.

Para a paciente vinda de Entre Rios, Mônica de Souza Vidal, de 44 anos, o evento foi enriquecedor. “É uma boa oportunidade para a gente, que é mulher, aprender sobre o que devemos fazer em casos de violência”, observou.

Serviço AME

O serviço de Atendimento às Mulheres Expostas à Violência Sexual do Hospital da Mulher (AME), localizado no Largo de Roma, em Salvador, presta atendimento 24 horas por dia, durante os sete dias na semana, a mulheres e adolescentes que sofreram abuso sexual.

Para acolher estas mulheres, composto por uma equipe multiprofissional com médicas, enfermeiras, farmacêuticas, assistentes sociais e psicólogas, o serviço AME atua em parceria com o Ministério Público, o Instituto Médico Legal (IML) e a Secretaria de Políticas para as Mulheres do Estado (SPM-BA), além de conselhos de saúde regionais. Em 2017, 160 mulheres foram atendidas pelo serviço. De janeiro deste ano até outubro, outros 131 novos casos deram entrada na unidade.

Como funciona

As pacientes podem chegar ao AME por meio da chamada ‘porta aberta’ – que abrange toda a demanda espontânea do serviço -, através de órgão judicial e policial ou ainda referenciadas pela Central de Urgências do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Após passar por atendimento com médica, enfermeira, assistente social e psicóloga, este com duração em média de seis meses, a paciente é direcionada ao atendimento com uma farmacêutica. Esta profissional fará a dispensação da profilaxia pós-exposição, um tratamento com terapia antirretroviral para evitar a sobrevivência e multiplicação do vírus HIV, além de administrar outros medicamentos para prevenir doenças sexualmente transmissíveis como a sífilis e gonorreia. A pílula do dia seguinte também é indicada caso ainda não tenham decorrido 72 horas do abuso sexual

 Ascom: HM

Notícias relacionadas