Notícias /

Hospital da Mulher comemora dois anos com mais 343 mil atendimentos realizados

07/01/2019 13:20

Na próxima quarta-feira (09), o Hospital da Mulher (HM) completa dois anos de funcionamento com a marca de 216 mil atendimentos médicos e quase 128 mil atendimentos realizados pela equipe multiprofissional. Atualmente, o equipamento é considerado o maior hospital dedicado às doenças específicas do aparelho reprodutor feminino do Brasil.

O Hospital da Mulher presta assistência nas áreas de ginecologia e mastologia, atendimento específico na área de reprodução humana e é dotado de um centro avançado de oncologia, além de atender também situações relacionadas à violência sexual. O equipamento é administrado pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) e conta com mais de 600 funcionários.

Nestes dois anos de atividades, mulheres de toda a Bahia foram encaminhadas à unidade, sendo 62,2% do público oriundo do interior e 37,8% da capital, onde o HM está instalado, no Largo de Roma. A idade das pacientes que prevalece vai de 35 a 54 anos, representando 53,8% do percentual, e as especialidades de Ginecologia e sub-especialidades, seguida por Mastologia, configuram como as mais procuradas no Hospital.

“O Hospital da Mulher passou a atender, em todo o estado, uma demanda que antes não era atendida, ou seja, o problema das doenças ginecológicas cirúrgicas das mulheres. Essas pacientes iam para emergências com sangramentos, hemorragias genitais, miomas, com câncer de mama que demorava muito tempo para ser diagnosticado e tratado, além de problemas de infertilidade, queda de bexiga e incontinência urinária. Todas essas situações passaram a ser tratados, adequadamente, nesse hospital, que atualmente realiza mais de 10 mil procedimentos e quase mil cirurgias por mês”, enfatiza o titular da Sesab, Fábio Vilas-Boas.

A aposentada Gilda Marques, de 71 anos, é paciente da unidade desde 2018, quando descobriu um câncer na mama esquerda, e continua o tratamento, por meio da quimioterapia, serviço implantado no HM há quatro meses. “Ano passado, estava em casa, deitada, e senti muita dor no seio. Fui encaminhada para o Hospital da Mulher, fiz os exames e fui operada rapidinho. Eu não sei o que teria sido de mim, se não fosse o Hospital”, afirma dona Gilda.

Estrutura

Hospital da Mulher oferece internamento hospitalar nas especialidades de clínica médica e cirúrgica, hospital-dia, internação em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), atendimento ambulatorial, procedimentos de diagnose e terapias e demais serviços de apoio assistencial. São 136 leitos, sendo 10 de UTI. Em novembro de 2017, a unidade também passou a contar com o serviço de Oncologia Clínica, que dispõe de 20 poltronas para infusão de quimioterápicos, com capacidade de atender até 60 pacientes por dia.

Com a inauguração dessa ala, o HM passou a ser uma Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon). “Uma obra, que será realizada ao longo de 2019, vai dotar o equipamento do serviço de radioterapia e do serviço de ressonância magnética de mama”, lembra Vilas-Boas.

De acordo com o diretor médico do HM, Paulo Sérgio Andrade, “ao longo desses dois anos, o Hospital construiu um perfil assistencial, destinado ao tratamento das doenças do aparelho reprodutor feminino e à mama e, dentro desse contexto, a unidade passou por uma grande evolução no tratamento oncológico dessas enfermidades, registrando um crescimento, por meio da implantação de novos serviços. O hospital se transformou em uma referência, no Brasil, no tratamento de doenças relacionadas às mulheres e passou por grandes transformações, modernizando-se, a cada dia mais”.

Atendimento

Como todos os procedimentos são agendados por meio do sistema Lista Única, as pacientes precisam procurar uma Unidade Básica de Saúde no município em que residem para serem referenciadas para os serviços do HM. Dúvidas podem ser elucidadas pelo número 0800-071-4000. A ligação é gratuita e pode ser feita de segunda a sexta, das 8h às 18h.

O Hospital da Mulher está localizado na Rua Barão de Cotegipe, número 1153, Largo de Roma, em Salvador.

Fonte: Secom/GOVBA

 

 

Notícias relacionadas