Notícias /

Pacientes do Serviço de Cabeça e Pescoço realizam tratamento integral no Hospital da Mulher

11/02/2019 10:27

Consolidado como referência na Bahia em assistência à saúde da mulher, em especial aos agravos que acometem a mama e o sistema ginecológico e reprodutor feminino, o Hospital da Mulher avança no diagnóstico e tratamento do câncer de tireoide.

Com a oferta dos serviços desde março do ano passado, a proposta é diagnosticar e tratar, além do câncer da tireoide, cânceres que acometem as glândulas parótidas e submandibulares e patologias benignas como nódulos na tireoide e cálculos na glândula salivar. Para isso, o hospital conta com uma equipe multidisciplinar composta por profissionais como cirurgiões de cabeça e pescoço. Desde a inauguração do serviço, 400 procedimentos cirúrgicos já foram realizados pela especialidade.

“Hoje em dia, o câncer da tireoide tem uma incidência muito alta no mundo, então este é um serviço de extrema importância para as mulheres baianas” afirma o médico cirurgião geral de cabeça e pescoço Lucas Silva.

Conforme o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer da tireoide é o mais comum da região da cabeça e pescoço, sendo três vezes mais frequente no sexo feminino. Havendo suspeita de câncer, é necessário que a paciente passe por punção aspirativa com agulha fina (PAAF) e aguarde o resultado da biópsia para constatar o diagnóstico de nódulo maligno ou benigno.

A ireceense Gessionete Ferreira, de 47 anos, passou pelo procedimento no Hospital da Mulher. “Em menos de um mês fui atendida e já passei pelo procedimento cirúrgico”, contou. “Foi tudo muito tranquilo. Os médicos e enfermeiros me trataram muito bem. As meninas do Núcleo de Apoio Especializado (NAE) também jogaram duro!”, brincou.

NAE

O Núcleo de Apoio Especializado tem o objetivo de atender com agilidade as pacientes que têm resultados positivos para o câncer de mama, colo de útero e da tireoide. O Núcleo realiza um trabalho interdisciplinar, multiprofissional e humanizado pelas equipes de enfermeiras, assistentes sociais, psicólogas, médicas e técnicas administrativas.

Havendo a suspeita de câncer, são feitos exames clínicos e complementares e então o material segue para o ambulatório com identificação de necessidade de urgência. Se houver indicação, a paciente passará de forma prioritária por cirurgia e receberá o tratamento complementar adequado.

Câncer da Tireoide

Três em cada quatro casos de câncer de tireoide são diagnosticados em mulheres. De acordo com o Inca, é estimado que para cada ano do biênio 2018/2019 sejam diagnosticados 9.610 novos casos de câncer de tireoide no Brasil, sendo 1.570 em homens e 8.040 em mulheres.

Embora o diagnóstico da doença tenha aumentado nos últimos anos, ainda conforme o Inca, a taxa de mortalidade para o câncer de tireoide está estável e é baixa se comparada com a maioria dos outros tipos de câncer.

 Fonte: Ascom HM

Notícias relacionadas