Notícias /

Pacientes do Hospital da Mulher recebem Projeto Oficina dos Anjos

14/02/2019 14:35

Para além do uso de fármacos, pacientes do Hospital da Mulher contam, durante a passagem pela unidade, com doses de práticas integrativas através de ações humanizadas com os mais diversos tipos de arte. Desta vez, as pacientes da oncologia clínica do Hospital da Mulher receberam o Projeto Oficina dos Anjos.

“O Projeto existe há três anos e conta com um grupo de voluntários para levar até as pacientes oncológicas ânimo, alegria e muita fé em suas vidas, através das oficinas de turbantes”, explica a voluntária Lenice Sousa.

Oferecendo internamento hospitalar nas especialidades de clínica médica e cirúrgica, hospital-dia, internação em unidade de terapia intensiva, atendimento ambulatorial, serviço de oncologia clínica, procedimentos de diagnose e terapias e demais serviços de apoio assistencial, o Hospital da Mulher promove desde a sua inauguração práticas integrativas, em parceria com diversas instituições como APAE, NEOJIBA, Terapeutas do Riso e Teatro Castro Alves (TCA).

“Momentos terapêuticos complementares são importantes para enfatizar que o foco do cuidado é na pessoa e não na doença. As terapias integrativas asseguram uma melhor qualidade de vida possível para as pacientes e seus familiares. Este cuidar envolve, além de procedimentos técnicos, o olhar, a escuta, a percepção e a disponibilidade de toda a equipe”, afirmou a coordenadora do Serviço de Oncologia do HM, Michelle Rocha.

Bastante risonha pela oportunidade, Lenilda Freitas diz estar feliz em participar da ação. “A gente se sente entusiasmada. Nos dá mais força de continuar o tratamento”, diz a paciente natural de Serrinha.

Com equipe composta por psicólogas, assistentes sociais, enfermeiras, médicos oncologistas, farmacêuticos e nutricionistas, o Serviço de Alta Complexidade em Oncologia dispõe de 20 poltronas para infusão de quimioterápicos, dois leitos de observação e dois de estabilização. Em média, até 60 pacientes podem passar diariamente pelo serviço.

Práticas Integrativas

A Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC), publicada em 2006, instituiu no SUS abordagens de cuidado integral à população por meio de outras práticas que envolvem diversos recursos terapêuticos.

Conforme o Ministério da Saúde, as terapias estão presentes em 9.350 estabelecimentos em 3.173 municípios, sendo que 88% são oferecidas na Atenção Básica.

 Fonte: Ascom HM

Notícias relacionadas