Notícias /

Hospital da Mulher e SPM disponibilizam atendimento a mulheres em situação de violência no Circuito do Carnaval

28/02/2019 17:00

Em parceria com a Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM-BA), o Hospital da Mulher disponibilizará, através do Serviço de Atendimento às Mulheres Expostas à Violência Sexual (AME), uma Unidade Móvel com equipe multidisciplinar para acolhimento e atendimento de mulheres em situação de violência nos circuitos do Carnaval 2019, em Salvador.

Localizada na Avenida Adhemar de Barros, próximo ao Monumento das Meninas do Brasil, em Ondina, a Unidade Móvel atuará a partir desta quinta-feira (28), das 16h às 20h. O acolhimento segue na sexta-feira (1), das 16h às 23h e de sábado (2) a terça-feira (5), das 10h às 23h. Na oportunidade, mulheres contarão com acompanhamento realizado por psicóloga, assistente social e advogada, com encaminhamento de ocorrências médicas para o Hospital da Mulher.

Como parte das ações estratégicas voltadas ao Carnaval, o Serviço AME ainda realiza, durante o período, ações de divulgação em pontos de grande circulação da cidade, além de explanação sobre o Serviço, que já acolheu, desde sua inauguração, mais de 300 mulheres.

Serviço AME

Mulheres, adolescentes e trans expostas a situações de abusos e violência sexual poderão ser acolhidas no centro, que dispõe de equipe multiprofissional com médicas ginecologistas, enfermeiras, assistentes sociais, psicólogas e farmacêuticas.

Assim como nas demais datas, durante o Carnaval, as pacientes poderão ser atendidas através de demanda espontânea – também chamada porta aberta -, sem necessidade de agendamento prévio. O encaminhamento também poderá ser feito pela rede de enfrentamento à violência contra a mulher, através de órgão judicial e policial, Instituto Médico Legal (IML), Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), Delegacia Especial de Atenção à Mulher (DEAM’s), Unidade de Pronto Atendimento (UPA’s) ou Central Estadual de Regulação da Bahia (CER-BA).

O Serviço AME orienta que o atendimento de emergência – primeiro atendimento – seja realizado em até 72 horas da violência para um melhor prognóstico. Ao dar entrada na unidade, a paciente realiza exames laboratoriais sorológicos, profilaxia para HIV e DST’s, contracepção de emergência e exame médico pericial em parceria com o IML, além de, quando do desejo da mulher, dispõe de acompanhamento à delegacia especializada para registro da ocorrência.

“Embora os atendimentos aconteçam com ou sem o registro do Boletim de Ocorrência (B.O.), a notificação através do documento é importante para maior precisão e eficácia das políticas de reparação”, destaca a médica ginecologista e coordenadora do AME, Jamile Martins.

Além do atendimento de emergência, o AME realiza consultas de seguimento multiprofissional por no mínimo seis meses. Em caso de dúvidas ou encaminhamentos, o contato pode ser feito através do telefone (71) 4141-6520 ou (71) 3034-5005. Denúncias de violência sexual podem ser feitas através do Disque 180.

Ascom do Hospital da Muljer
Hospital da Mulher/violência

Notícias relacionadas