Notícias /

Cedeba chega aos 25 anos cumprindo sua Missão: assistência, ensino e pesquisa

21/03/2019 09:44

O Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba), unidade de Referência da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), completa 25 anos no próximo domingo (24 de março). Nascido do sonho de um pequeno grupo de profissionais de saúde, capitaneado pela endocrinologista, fundadora e diretora da unidade, Reine Chaves Fonseca, para tratar de forma humanizada e com qualidade o paciente diabético, o Cedeba ampliou sua ação e ganhou reconhecimento nacional e internacional.

Para a diretora, a dedicação e o compromisso dos servidores, bem como de todos os gestores estaduais de saúde, têm sido decisivos para os avanços do Cedeba e, também, para o seu reconhecimento e prestígio. Para marcar as bodas de prata, os servidores estarão reunidos às 9 horas na segunda-feira(25). Em seguida, terão palestra às 11 horas sobre o tema ” A Missão de Cada Um”, que será proferida por Sônia Dórea.

No dia 26, a psicóloga do Centro de Prevenção e Reabilitação da Pessoa com Deficiência (Cepred), Osanete Araujo de Oliveira, apresenta, às 13 horas, o tema “Relacionar é uma Arte”. Para os usuários, o Cedeba lançará um guia de bolso, com informações sobre os serviços do Centro, localização, contatos e critérios de encaminhamento.

A CAMINHADA

Na sua caminhada de muitas lutas, o Cedeba desenvolveu um trabalho de assessoramento às unidades de atenção básica de saúde e às unidades terciárias para capacitação de profissionais e desenvolvimento de protocolos clínicos para orientação na abordagem de pacientes diabéticos. E esse trabalho de capacitação dos profissionais da Atenção Básica continua, como explica a diretora Reine Chaves Fonseca, “porque é muito importante o diagnóstico do diabetes na sua fase inicial, antes que as complicações surjam.

O Cedeba também é um centro formador de profissionais. “Nós temos residência médica, com ensino e pesquisa na área do diabetes. O Cedeba hoje é um centro completo em torno de assistência, ensino e pesquisa. Há também programas de educação para pacientes, através de cartilhas, vídeos e aulas. Esse trabalho de educação tem ajudado na conscientização acerca da doença. Estamos evoluindo para estabelecer a referência para retinopatia diabética, para o pé diabético e o aprimoramento para outras doenças endócrinas”, pontua a diretora do Cedeba.

RECONHECIMENTO

O trabalho do Cedeba avançou muito na sua caminhada de 25 anos. Em 2007, foi reconhecido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como o primeiro centro de referência em diabetes do Brasil, o terceiro da América Latina e 24º do mundo. O Cedeba, depois de capacitar profissionais da Bahia e do Brasil, passou a levar sua experiência para os países de língua portuguesa: Moçambique e Guiné Bissau. Apesar de tantos avanços, a diretora do Cedeba destaca que “queremos continuar crescendo, com a adoção de novas tecnologias, entre outros novos avanços”.

A origem do importante Centro de Referência da Sesab está no primeiro Serviço de Endocrinologia do Estado da Bahia, no Hospital Roberto Santos, Bahia, criado em 1987. O sonho do grupo de profissionais de criar um centro para um tratamento diferenciado do paciente diabético ganhou força quando a endocrinologista Reine Chaves Fonseca voltou dos Estados Unidos, onde fez pós-graduação, trazendo o modelo de assistência multidisciplinar para o tratamento em diabetes.

Em 1991, Reine Chaves assumiu a subgerência de Doenças Crônicas e Degenerativas e três anos depois, no dia 24 de março, nascia o Cedeba, setenta anos após a aplicação da primeira insulina. Nascia pequeno, no espaço do Hospital Roberto Santos, mas focado na assistência multidisciplinar.

O Cedeba, segundo Reine Chaves, começou a ampliar seu raio de ação, organizando a rede de atendimento em Salvador. Depois, um novo avanço, com um projeto de capacitação, em parceria com a Associação Baiana de Medicina, que alcançou 73% dos 417 municípios da Bahia.

Ao ser fundado, era bem pequeno. Funcionava em duas alas do Hospital Roberto Santos. Mas foi crescendo e ganhou uma sede no Rio Vermelho (o Cedebinha), em 1997. Na atual sede do Centro de Atenção à Saúde (CAS), está há 16 anos. Ocupa área de 3,3 mil metros quadrados, que já está pequena para as inúmeras ações que desenvolve.

FOCO NA EDUCAÇÃO

O Cedeba desenvolve forte trabalho na educação dos pacientes, com farta produção de materiais educativos: cartilhas, folders, jogos educativos que são usados com pacientes do Cedeba e disponibilizados para reprodução pelos gestores municipais, ampliando o trabalho de educação em diabetes com o foco no auto-cuidado.

O trabalho educativo – por meio da Coordenação de Educação em Diabetes e Apoio à Rede (Codar) – é feito por meio de grupos de convivência , sendo o “Doce Conviver” uma experiência que vem sendo reproduzida em outros municípios e em outros países, a partir da visita de delegações. O Centro também cuida da educação das crianças e adolescentes (incluindo a família), que contam com Brinquedoteca, onde com o apoio de pedagoga, aprendem a montar cardápios de forma lúdica e também conhecem sobre o diabetes por meio de filmes educativos.

O acompanhamento no Cedeba é feito por uma equipe multidisciplinar, com psicólogos, fisioterapeutas, dentistas, enfermeiros assistentes sociais, nutricionistas e médicos: Cardiologia, Angiologia (Pé Diabético), Endocrinologia, Nefrologia, Oftalmologia, Ginecologia, Urologia, Ultrassonografia Geral e da Tireóide e Punção com Biópsia de Nódulos da Tireóide, além de exames laboratoriais bioquímicos e hormonais.

A unidade possui duas farmácias: a básica e a do CEAF (Componente Especializado da Assistência Farmacêutica), antes chamada farmácia para medicações de alto custo. Outro serviço muito importante do Cedeba é o laboratório que realiza exames laboratoriais bioquímicos e hormonais.

O contínuo fortalecimento das ações do Cedeba é muito importante, segundo Reine Chaves Fonseca, porque o Centro cuida, entre muitas, de doenças crônicas – diabetes e obesidade – que preocupam as organizações de saúde em todo o mundo, em razão do crescimento contínuo e por contribuírem para o aumento da mortalidade e também por reduzirem a qualidade de vida.

O Cedeba se destaca ao preparar os profissionais da Atenção Básica para o atendimento focado na prevenção da obesidade, na identificação precoce dos casos de diabetes, ganha espaço para acompanhar os casos de obesidade severa e das complicações graves do diabetes, que exigem atendimento num centro especializado.

Fonte: Ascom Cedeba
Cedeba/25anos