Notícias /

HGCA promove curso sobre atendimento cirúrgico ao politraumatizado na Emergência

01/04/2019 17:30

A Residência de Cirurgia Geral do Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA) promoveu, no final de semana (30 e 31 de março), no auditório da unidade, o IV Curso de Imersão em Anatomia Cirúrgica (CIAC). O curso foi coordenado pelo preceptor da Residência Médica de Cirurgia Geral do HGCA, Rinaldo Antunes Barros, auxiliado pela Monitoria da Biomorfofuncional Fundamentos Macroscópicos, do Curso de Medicina da Escola Bahiana de Medicina. Participaram da capacitação os médicos residentes de Cirurgia Geral do HGCA e internos de Medicina da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS).

De acordo com Rinaldo Antunes, a proposta de imersão foi alcançada com abordagem de temas relevantes da anatomia cirúrgica e capacitação dos principais procedimentos médicos a serem realizados na sala de emergência durante atendimento ao politraumatizado. De forma oportuna, o médico também fez uma reflexão sobre atitudes custo-conscientes no Trauma, permitindo revisitar a Lista de Recomendações da Campanha Choosing Wisely, implantada no HGCA há 1 ano.

“Fico feliz em ver os resultados alcançados com médicos residentes de Cirurgia Geral cada vez mais interessados e preocupados em atender melhor nossa população”, afirmou Rinaldo, acrescentando que o futuro da assistência médica está nas mãos de jovens médicos que pensam em atitudes custo-conscientes, sendo a educação médica continuada uma potente arma de combate para mudarmos paradigmas e melhorar os cuidados de forma segura aos pacientes.

Sobre o Choosing Wisely

O HGCA destaca-se pelo pioneirismo de ser o primeiro hospital público do Brasil, na área de Cirurgia Geral a implementar a Iniciativa Choosing Wisely. Trata-se de uma campanha iniciada nos Estados Unidos, que lista várias recomendações de ações custo-conscientes no atendimento inicial ao politraumatizado. A campanha não têm o intuito primário de economizar recursos, mais sim de melhorar a qualidade da assistência, que deve ser embasada em evidências, aumentando a probabilidade de benefício e reduzindo o risco de malefício à saúde dos indivíduos.


Fonte: Assessoria de Comunicação / HGCA
Clériston Andrade/cursocirurgia