Notícias /

Equipe de Neurocirurgia do HGVC realiza procedimento inédito no Nordeste

29/05/2019 11:32

“Foi um dia histórico para a neurocirurgia da Bahia “. Estas foram as palavras do médico neurocirurgião Iogo Henrique que, em parceria com o também neurocirurgião Mauro Sérgio, realizou na segunda-feira (27), no Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC), a primeira microcirurgia neuroendoscopia assistida do Nordeste.

O HGVC se caracteriza pela assistência em alta complexidade em neurocirurgia, e com essa técnica disponível aumenta a eficiência do serviço. Ainda que nem todos os pacientes sejam candidatos a realizar procedimentos minimamente invasivos, a grande maioria dos casos é beneficiada. O uso da neuroendoscopia durante os procedimentos microcirúrgicos permite que o procedimento seja realizado com mais segurança e por craniotomias menores.

A neuroendoscopia é um procedimento bem menos invasivo em neurocirurgias. No procedimento é usado o Endoscópio Cirúrgico, um instrumento óptico que permite a visualização de estruturas no interior de uma cavidade cerebral com aumento e boa resolução. O procedimento possibilita o acesso a tumores, sangramentos e outras lesões, ainda que em lugares mais profundos, sem precisar de uma grande cirurgia.

Dentre os benefícios da neurocirurgia minimamente invasiva destacam-se: menor tempo de internação; incisões menores; menor trauma cirúrgico; menor risco de infecção; recuperação mais rápida; cirurgias mais rápidas e precisas; ausência ou mínima manipulação do cérebro.

O secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, destaca que a ideia é consolidar cada vez mais a alta complexidade no interior do estado, disponibilizando procedimentos avançados. “A ideia é que as regiões sejam resolutivas e que todas as regiões de saúde consigam dar assistência sem necessidade de tranferir o paciente para a capital”, afirma Vilas-Boas.

Essa técnica é uma grande conquista para os pacientes de toda região. No HGVC está disponível o que de melhor existe na área da neurocirurgia. Mesmo em nível nacional, esse tipo de tratamento é oferecido em poucos centros de referência na área.

Ainda ontem, foi realizada outra cirurgia desse tipo. Um jovem de 29 anos, com um tumor localizado no tronco cerebral (uma região de difícil acesso e que 1mm faz diferença entre vida e morte), foi submetido ao tratamento cirúrgico com essa técnica. O procedimento durou cerca de 2h e ocorreu sem intercorrencias. Poucos minutos depois, o paciente já se encontrava sem sintomas ou queixas e com previsão de alta hospitalar em 48h.

Ascom do HGVC
Vitória da Conquista/neuro

Notícias relacionadas