Notícias /

Hospital Regional Costa do Cacau diminui fila de transplante com captação de múltiplos órgãos

29/05/2019 15:22

O Hospital Regional Costa do Cacau, em Ilhéus, realizou nesta quarta-feira (29), em parceria com a Organização de Procura de Órgãos (OPO) Sul, uma captação de múltiplos órgãos. Foram captados o coração, fígado, rins e córneas do paciente de 22 anos, F.S.S.J, sexo masculino, após a abertura de Protocolo e autorização da família.

A captação foi realizada pela equipe do HRCC e por Daniel Viriato, médico captador da Central Estadual de Transplantes da Bahia. Os enfermeiros Silvana Batista e Ronaldo Vidal da CHIDOTT, sinalizam que para viabilizar a doação é necessário que a pessoa tenha entre dois e 70 anos de idade, não apresente enfermidades como Hepatites B e/ou C, HIV (AIDS), morte por causa desconhecida ou outras enfermidades infectocontagiosas transmissíveis por meio do transplante.

“O Hospital Regional Costa do Cacau faz busca ativa diariamente nos setores para reforçar aos profissionais que casos possíveis de doação sejam comunicados imediatamente à comissão, e inicie o processo de avaliação e contato com a família, através da equipe do Serviço Social, que aproveito para destacar a importância deles nesse processo de comunicação com a família”, disse Silvana Batista.

Ronaldo Vidal analisa a importância da equipe do Serviço Social nesse processo. “A captação de órgãos e os transplantes se apresentam hoje como uma possibilidade viável e eficaz de amenizar o sofrimento e a morbidade de pessoas com doenças graves. Para viabilizar a doação, a equipe é importante, inclusive o assistente social, que acolhe, orienta e realiza a entrevista com os familiares do possível doador”.

Vidal garante que o trabalho dos assistentes sociais é de grande importância no processo da doação, visto que o contato com a família do doador, nesse momento difícil, é bastante delicado, um momento de dor que a família enfrenta, e há muitas dúvidas que são esclarecidas através dos assistentes sociais, que conversam sobre as etapas da captação, sem esquecer, claro, de respeitar o momento de cada familiar.

A doação só é realizada mediante autorização familiar documentada, na presença de duas testemunhas. Os dados do doador e dos familiares são mantidos em sigilo, por isso é importante que a pessoa informe em vida o desejo de se tornar um doador.

 

Notícias relacionadas