Notícias /

Profissionais da UPA de Vitória da Conquista orientam sobre a higiene das mãos

30/05/2019 14:44

Mundialmente, a higienização das mãos é reconhecida como uma medida primária e de suma importância para o controle de infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS). Todos precisam estar conscientes da importância da higienização das mãos nos serviços de saúde, visando à segurança e a qualidade da atenção prestada.

Diante da importância do tema, a Organização Mundial de Saúde definiu o dia 5 de maio como Dia Mundial de Higiene das Mãos. Para esse mês de maio, a Unidade de Pronto Atendimento de Vitória da Conquista, através do Núcleo de Segurança do Pacientes e Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH), está realizando diversas atividades, para todos os colaboradores, capacitação para as equipes e orientações que incluim os pacientes e acompanhantes, abordando os momentos da higienização das mãos.

Naiane Coelho, coordenadora do Núcleo de Segurança do Paciente, afirma que o monitoramento das equipes quanto a higienização das mãos é contínuo, porém no mês de maio ele se intensifica. “As mãos devem ser higienizadas com água e sabão quando estiverem visivelmente sujas, caso contrário pode-se higienizá-las com álcool, seguindo a técnica correta”.

Segundo a ANVISA, a higienização das mãos deve ser realizada minimamente em cinco momentos: antes e após o contato com o paciente, antes da realização de procedimentos assépticos, após a exposição a fluidos corporais e o contato com áreas próximas ao paciente. Este método facilita a compreensão dos momentos em que há riscos de transmissão de micro-organismos pelas mãos, a memorização e a incorporação nas atividades do dia a dia.

Liliana Prado, coordenadora da Vigilância Epidemiológica e CCIH da unidade, sinaliza que é importante lembrar que higienizar as mãos é um detalhe que faz muita diferença, não apenas na nossa saúde, mas também na saúde de nossos entes queridos e de toda a comunidade. “Precisamos orientar as crianças, desde pequenas, para higienizarem as mãos de forma adequada, para que esta prática se torne um hábito”, conclui.

 

Notícias relacionadas