Notícias /

Diretoria de Assistência Farmacêutica promove ações no Julho Amarelo

18/07/2019 15:40

As Hepatites Virais constituem um grave problema de saúde pública no mundo, destacando-se as Hepatites B e C que, em geral, são responsáveis pelas formas mais graves da doença. Embora seja uma doença de fácil identificação, até com a realização de testes rápidos, não é o que ocorre. Com a falta de diagnóstico precoce, a hepatite pode evoluir, provocando cirrose, câncer de fígado, doenças de pele, renal e até diabetes, quando não tratada adequadamente.

Julho é o mês dedicado à luta contra as hepatites virais. Para marcar o Julho Amarelo, a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), através da Diretoria de Assistência Farmacêutica (Dasf), realiza no período de 22 a 24 próximos, na Farmácia Integrada de Medicamentos da Atenção Especializada (Fimae), que fica no Hospital Especializado Octávio Mangabeira (Heom), um mutirão para atendimento dos novos pacientes cadastrados já com as novas terapias introduzidas segundo o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT).

Durante todo o mês de julho, de segunda a sexta-feira, no turno da manhã, a equipe da Fimae vem realizando ações que envolvem, principalmente, a prevenção com aconselhamentos sobre a doença, palestras educativas, distribuição de preservativos e incentivo para a vacinação. Também estão sendo realizados testes rápidos e, contando com a parceria do laboratório do Heom, para coleta e a realização dos exames para as hepatites B e C.

Descrição da doença

As hepatites virais são infecções sistêmicas caracterizadas pela inflamação das células do fígado que podem ser causadas, principalmente, por vírus A, B, C, D e E. No entanto, podem ser também originadas por infecções não virais, substâncias tóxicas e doenças autoimunes ou metabólicas.

A sintomatologia inicial das hepatites virais na fase aguda é, na maioria das vezes, inespecífica e muito semelhante (febre, mal estar, falta de apetite, náuseas, vômitos), entretanto, o curso, a gravidade e as medidas de prevenção e controle são diferentes. Na fase ictérica podem apresentar, além da icterícia, fezes esbranquiçadas e urina escura.

Na hepatite B, apenas uma minoria de adultos infectados irá se tornar crônico (3 a 5%), entretanto, se ocorrer em crianças 70 a 90% delas irão cronificar. No caso da hepatite C, cerca de 85% das pessoas infectadas poderão evoluir para a forma crônica.

Programação

Hoje (18), a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep) está sendo realizada uma capacitação sobre hepatites virais para trabalhadores. No dia 27, acontece uma ação na Barra com distribuição de preservativos, teste rápido, palestras e vacinação; no dia 31, teremos palestra sobre hepatites virais

Notícias relacionadas