Notícias /

Cirurgia Bariátrica fechou ciclo de palestras sobre obesidade e lotou auditório do CAS

08/11/2019 12:13

O ciclo de palestras sobre Obesidade, do Núcleo de Obesidade do Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba) de 2019, foi encerrado com o tema “Reflexões sobre Cirurgia Bariátrica”, lotando o auditório do Centro de Atenção à Saúde (CAS). Os pacientes, de Salvador e de municípios do interior da Bahia, atentos, respondiam às perguntas com segurança, sinalizando que os ensinamentos da equipe multidisciplinar estão sendo bem absorvidos. Quando a endocrinologista, Regilene Batista, depois de explicar didaticamente, o que acontece com o estômago e o intestino após a bariátrica, perguntou “vocês terão que tomar vitaminas para sempre? em coro eles responderam ” sim !!!”.

O trabalho do Núcleo de Obesidade do Cedeba é feito pela equipe multidisciplinar. E assim também é o ciclo de palestras. A primeira apresentação foi da nutricionista Lorenna Fracalossi, que mostrou as mudanças na alimentação quando o estômago é reduzido. “Além de comer muito menos é preciso mastigar bem os alimentos – hábito saudável para as pessoas em gera,l para quem faz bariátrica é imprescindível. Mastigar e comer devagar”, pontuou. Se a pessoa insistir em comer rápido, sem mastigar bem, apresentará engasgos e vômitos.

Os participantes aprenderam também sobre a cirurgia com a endocrinologista Regilene Batista sobre a redução do peso com a bariátrica – 40% do peso pré-cirúrgico – e deu exemplos para facilitar a compreensão. Numa pessoa com 200 quilos, espera-se uma perda de 80 quilos; quem tem 100 quilos, a perda chega a 40. Mas essa perda -explicou – se dá da seguinte forma: 20 % nos três primeiros meses (10% no primeiro, 6% no segundo e 4% no terceiro). A outra metade, 20%, em 12 meses. Assim, entre 15 e 18%, chega-se a redução esperada, de 40%.

As mudanças no corpo com a bariátrica também foram explicadas pela fisioterapeuta, Lorena Arruda, que começou sua apresentação com aula prática de exercícios de respiração e relaxamento, enfatizando a importância da respiração correta no pós-bariátrica. A última apresentação foi da psicóloga Aline Fonseca. 

Ascom Cedeba

Notícias relacionadas