Notícias /

UTI cardiovascular do Hospital Roberto Santos já atendeu 3 mil pacientes em dois anos

07/08/2020 11:28

A unidade de terapia intensiva (UTI) cardiovascular do Hospital Geral Roberto Santos (HGRS) completa, neste mês, dois anos de funcionamento. Desde a abertura do equipamento – que conta com 30 leitos instalados em uma área de mais de 300 metros quadrados -, cerca de 3 mil pessoas se internaram no local, entre pacientes com doenças cardiológicas, vasculares e renais. Desses, 75% tiveram incremento funcional na alta hospitalar. Ou seja, estavam melhores do que na admissão.

Na avaliação do diretor médico da instituição, o cardiologista André Durães, a abertura da UTI cardiovascular no HGRS promoveu a descentralização do cuidado em cardiologia no sistema público de saúde do estado da Bahia. “A unidade veio em um momento crucial, quando as patologias cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo, mesmo durante a pandemia da Covid-19. Assim, é uma UTI extremamente estratégica, importante para pacientes com patologias críticas e para procedimentos de alta complexidade”, destacou.

Os leitos da UTI cardiovascular do HGRS são equipados com câmeras de monitoramento, interligadas à central de enfermagem da unidade. No local, além de enfermeiros e médicos, há técnicos de enfermagem; fisioterapeutas; nutricionistas; psicólogos; assistentes sociais; terapeutas ocupacionais e fonoaudiólogos. Ao todo, são cerca de 250 profissionais dedicados aos pacientes ali internados.

Vocações do HGRS

Maior hospital público da Bahia, o Hospital Geral Roberto Santos conta com mais de 700 leitos ativos de internação para diversas áreas, como neurocirurgia, cirurgia geral, vascular, pediatria, clínica médica, nefrologia, gestação de alto risco e hemorragia digestiva. Possui também 137 leitos de cuidados intensivos (92 adultos, 10 pediátricos e 35 neonatais) e um ambulatório de multiespecialidades, inclusive com centro cirúrgico próprio.

Devido à abertura da UTI cardiovascular e à readequação do centro de hemodinâmica e de bioimagem, a instituição, hoje, é referência, também, em cardiologia. Até dois anos atrás, o Hospital Ana Nery (HAN) absorvia a maioria das demandas cardiovasculares do Estado.

Ascom HGRS

Notícias relacionadas