Notícias /

Cedeba faz abertura consciente para proteger usuários e colaboradores

02/09/2020 18:25

Usuários do Cedeba com consultas agendadas para o mês de setembro só deverão comparecer à unidade com a confirmação por telefone. Isso porque o atendimento presencial nos ambulatórios será retomado no próximo dia 8, mas será de forma gradual, garantindo a segurança dos pacientes e dos colaboradores.

Segundo a diretora do Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba), Reine Chaves, “retomaremos o atendimento presencial, embasados nas normas sanitárias vigentes, porque a pandemia da COVID-19 não acabou, e precisamos proteger os pacientes e colaboradores. Antes da pandemia, atendíamos cerca de 700 a 900 pacientes, entre consultas, farmácia, laboratório e exames de imagem. A previsão é retornar com cerca de 250 pacientes/dia”, destacou.

A partir do dia 8 de setembro e durante o mês de outubro, o atendimento presencial será de 30%, enquanto por Telemedicina – usada com sucesso, desde março, início da pandemia da COVID-19- será de 70%. Em novembro e dezembro cada forma de atendimento será de 50%. A partir de janeiro, o atendimento presencial chega a 70%, ficando a Telemedicina com 30%.

Cuidados

Ao ser contatado por telefone para a confirmação da consulta, o paciente deverá responder perguntas sobre a presença de sintomas respiratórios e de contato com pessoas positivas para COVID 19. Se a resposta for positiva, a consulta será remarcada.

Ao chegar ao Cedeba para consulta ou procedimentos, o usuário terá sua temperatura avaliada. Se superior a 37,6 graus, será encaminhado para uma Unidade Básica de Saúde.

Para evitar aumento de fluxo de pessoas no Centro, só poderão vir com acompanhantes pacientes maiores de 60 anos, crianças e pessoas com deficiência.

A preparação

Para a abertura do Cedeba foram dois meses de estudos do Grupo de Trabalho,( GT) “Abertura Consciente Cedeba”, coordenado pela endocrinologista Regilene Batista. As ações foram construídas com muito cuidado e discutidas com a diretoria e Grupo Colegiado.

Os estudos tiveram como ponto de partida a Norma Técnica da Anvisa e também da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia.

Necessidade

Nesses quase seis meses de suspensão do atendimento presencial nos ambulatórios, a equipe do Cedeba continuou na unidade, fazendo teleatendimento. E mantendo o atendimento presencial na farmácia (dispensação e aplicação de medicamentos), e mais recentemente o laboratório.

Mas,como analisa, Regilene Batista, a volta do atendimento presencial, ainda que parcial foi uma necessidade diante do perfil de pacientes crônicos que precisam de exames complementares.

E a seleção dos pacientes que terão atendimento presencial foi baseada nas consultas da Telemedicina. É muito importante- observa Regilene Batista – que na véspera da consulta agendada os pacientes atendam a ligação do Cedeba.

Como há o cuidado de proteger o paciente, no atendimento presencial, terão prioridade os de Salvador e Região Metropolitano e os abaixo dos 60 anos. Porque a viagem representa um risco adicional, observa Regilene Batista .

Hora marcada

Para reduzir o fluxo de pessoas na unidade, o paciente só deverá comparecer no prazo de 30 a 40 minutos antes do atendimento que deixa de ser por ordem de chegada,passando a ser de hora marcada. Os usuários que vierem para consultas, aplicação de medicamentos, exames de imagem e procedimentos no pé diabético responderão a questionário sobre sintomas indicativos da COVID-19.

Preparação do espaço

O trabalho do GT definiu com muito cuidado o fluxo de usuários na unidade. Cada longarina (possuem três lugares) só poderá acomodar uma pessoa para manter a distância de 1,5 metro. Totens de álcool em gel foram instalados em todas as áreas.

Para acessar os serviços, os usuários receberão pulseiras com cores que correspondem ao setor em que serão atendidos – a sinalização do Cedeba já usa cores – para maior controle do fluxo de pessoas na unidade.

Na primeira fase da abertura do Cedeba, funcionarão o Ambulatório do Pé Diabético, Obesidade, Diabetes, ultrassonografia geral, Doppler de vasos, punção aspirativa da tireóide e o ambulatório de Oftalmologia. Na segunda fase, virão as outras especialidades que o Centro de Referência oferece.

Quanto aos profissionais de saúde, o plano de abertura do Cedeba definiu os cuidados no atendimento e o uso de EPIS, de acordo com as definições da Anvisa.

A diretora do Cedeba destaca que ” estamos voltando com o atendimento presencial, mas continuaremos vigilantes porque a obesidade e o diabetes são fatores de risco para a COVID-19 e representam mais de 50 %da demanda do Centro”.

Ascom do Cedeba

 

Notícias relacionadas