Notícias /

Dia Mundial da Segurança do Paciente é assinalado pela Sesab

17/09/2020 17:37

Assegurar a Segurança do Paciente (SP) significa estar atento para diminuir ou eliminar riscos de danos ao paciente durante a assistência à saúde. Para alcançar esse objetivo, a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) vem desenvolvendo uma série de ações, incluindo garantir o apoio aos municípios baianos para a implantação dos Núcleos de Segurança do Paciente em unidades hospitalares, com a missão de promover a parceria com os pacientes e criar um ambiente onde os profissionais de saúde são capacitados e treinados para reduzir os erros, entre outras atividades.

A subsecretária da Saúde do Estado, Teresa Paim, destaca a importância da data, e lembra que na Bahia, as ações de segurança do paciente tiveram um grande impulso a partir de projetos promovidos pelo Ministério da Saúde, por meio do Programa Nacional de Segurança do Paciente, e do Conselho Nacional de Secretários da Saúde – CONASS. “As ações de segurança do paciente eram focadas apenas em eventos adversos, que ocorriam em pacientes internados em unidades com UTI”, revela Teresa Paim.

Ainda de acordo com a subsecretária da Saúde, a partir de 2019, a Sesab passou a atuar no sentido de apoiar e fortalecer a temática da Segurança do Paciente. Atualmente, na Bahia, vários serviços já possuem o Núcleo de Segurança do Paciente e outros estão iniciando o processo de implantação do serviço. “A meta é completar 100% de núcleos de SP nos serviços de saúde, incluindo na atenção primária”, enfatiza Teresa Paim.

Segurança do paciente e Covid-19

A pandemia da Covid-19 trouxe uma série de desafios, preocupações e dificuldades, que impulsionaram o Estado a ressignificar a forma de trabalho e exigiram uma pronta capacidade de adaptação, com enfoque, inclusive, na segurança do paciente. Foi necessário fortalecer as ações intersetoriais e a colaboração de diversas instâncias, de forma solidária e coordenada pela Saúde. A incorporação de tecnologias foi essencial para a adaptação dos processos de trabalho, no momento de restrição dos encontros presenciais, sejam reuniões, atendimentos médicos ou multiprofissionais e restrições de acompanhantes e visitas aos pacientes.

Todos os cuidados voltados à proteção das pessoas, com olhar especial para os trabalhadores, inicialmente da saúde, pacientes e familiares, para controle da transmissão do vírus e adequações dos serviços de saúde frente à pandemia.

A criação do Comitê de Operações Especiais em Saúde e a implantação da Sala de Situação foram estratégias criadas com a proposta de ligar pontos críticos e coordenar as ações, de modo a monitorar o cenário epidemiológico, planejar as ações e efetivar as providências de controle, vigilância e assistência à saúde e ao óbito pelo coronavírus, mantendo todas as providências possíveis para as demais patologias que acometem a população.

Durante a pandemia, as unidades hospitalares, com a orientação da Sesab, passaram a intensificar a supervisão das ações já existentes junto aos trabalhadores da saúde, como a identificação dos pacientes, higiene das mãos (com água, sabão e álcool gel), uso de EPIs, e passaram a adotar novas ações para reduzir a transmissão da doença e seus efeitos negativos durante o internamento.

Ações da Sesab

Entre as diversas ações adotadas pela Sesab para enfrentamento à pandemia, buscando a segurança, não só dos pacientes, como também dos profissionais de saúde, estão: acolhimento a novos profissionais, com capacitação no tema SP e prevenção a riscos assistenciais com o foco na Covid-19; treinamento para uso de EPIs (paramentação e desparamentação), em tecnovigilância, em notificação de eventos adversos, biossegurança, em descarte dos resíduos; uso obrigatório de máscara cirúrgica por todos os funcionários da unidade (não apenas os da assistência direta); uso obrigatório de máscara para pacientes e acompanhantes em todas as unidades de saúde; utilização de ferramentas de comunicação com as famílias de pacientes internados pela CODIV-19 para os boletins médicos diários e humanização da assistência, através do uso de tablets; oferta de sistema de hotelaria para profissionais de saúde para cumprimento da quarentena, a fim de prevenir a disseminação do vírus para outros contactantes, familiares ou não; oferta de abrigos para pacientes positivos para COVID-19, estáveis clinicamente ou assintomáticos para cumprimento da quarentena, com a mesma intenção de prevenir a disseminação do vírus para outros contactantes, familiares ou não.

Notícias relacionadas