Notícias /

Novo modelo de admissão no Cedeba: descentralização e ampliação da assistência

29/09/2020 15:05

A admissão no Centro de Referência Estadual para Assistência ao Diabetes e Endocrinologia da Bahia – CEDEBA – para pacientes da Atenção Primária de Saúde (APS) tem agora novo modelo. Será feito através da Plataforma TELESSAÚDE-BA.

O novo modelo, como destaca a diretora do Cedeba, Reine Chaves, “foi concebido pela necessidade de atender a população de um Estado com grande dimensão territorial e também descentralizar atendimentos de pacientes com doenças crônicas, ainda realizados na capital”.

Todo o processo para a implantação do novo modelo de admissão foi coordenado por Reine Chaves, tendo sido maturado e consolidado a partir da experiência com teleconsulta e teleorientação durante a pandemia da COVID19.

Com o Telessaúde- BA serão fortalecidas estratégias para apoiar os médicos da APS no atendimento à maioria dos pacientes em seu local de origem, agilizando, assim o tratamento e controle de doenças crônicas.

A mudança

Com o novo modelo de admissão, a partir de 31 de outubro, pacientes com critérios para avaliação na Atenção Secundária devem ser encaminhados ao Cedeba exclusivamente por meio da Plataforma do Telessaúde-BA. O Cedeba já vem ofertando com sucesso, durante a pandemia da COVID19,a Teleconsultoria Especializada, em parceria com o Núcleo de Telessaúde da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia, para apoiar os profissionais da APS do Estado da Bahia, no cuidado à população.

A teleconsultoria especializada com intenção de encaminhamento (denominada previamente de triagem) e a teleconsultoria especializada, que permitem orientações e troca de informações entre profissionais de saúde, para auxílio diagnóstico ou terapêutico, vem contando com a participação de médicos do CEDEBA, como teleconsultores. O formato de realização da teleconsultoria segue o fluxo acordado com a equipe da Telessaúde/ SESAB, conforme resumo abaixo.

Através da Plataforma própria (http://plataformatelessaude.saude.ba.gov.br/) serão solicitadas as teleconsultorias, que poderão ser respondidas de forma síncrona e/ou assíncrona. A síncrona acontece em tempo real, por meio de chat e ferramentas para interação com voz e/ou vídeo, e as assíncronas são respondidas por meio de mensagens offline na plataforma. Dessa forma, utiliza-se um formato no qual o profissional solicitante da APS tem a possibilidade de solicitar consultoria em tempo real com o profissional especialista e também poderá ter a sua demanda respondida na plataforma de teleconsultorias.

O Núcleo de Telessaúde faz a triagem e encaminha ao especialista do CEDEBA (endocrinologia adulto e infantil e angiologia) a teleconsultoria, conforme escala de trabalho diário, de segunda à sexta, no turno matutino.

Já estão disponíveis protocolos de atendimentos iniciais para APS das patologias habitualmente acompanhadas pela endocrinologia do CEDEBA na Plataforma Telessaúde (hipertireoidismo, hipotireoidismo, nódulo de tireóide, Diabetes Mellitus tipo 2, Obesidade).

Importante

Durante período de transição serão aceitas a Ficha de Referência tradicional (física) provenientes da APS, que comprove o atendimento em parceria e que tenham sido emitidas até 31 de outubro de 2020. Caso o paciente traga este formulário de Referência após a data acima, o Serviço Social deve orientar o Usuário sobre o novo fluxo de admissão no CEDEBA para pacientes da APS, exclusivamente através da Plataforma do Telessaúde.

Apoio da Codar

No Cedeba,a coordenação das ações de teleconsultoria especialistas ė da endocrinologista Flávia Resedá, em parceria com a Coordenação de Educação e Apoio à Rede ( Codar), que fará a articulação com gestores municipais por meio do Conselho de Secretários de Saúde dos Municípios (COSEMS), além do treinamento do pessoal da APS sobre o fluxo do novo modelo de admissão no Cedeba.

Segundo a coordenadora da Codar, Graça Velanes, “já estamos articulando treinamento com as regionais de saúde que será no formato web conferência.”.

Avanços

Para a médica Roberta Lordelo Lobo, da Codar, “o trabalho de articulação com o COSEMS será muito importante porque ampliará a divulgação do novo fluxo, este uma estratégia adequada para o período da pandemia”.

O novo modelo de admissão- analisou – trará avanços tanto para a população assistida quanto para o médico da Atenção Primária de Saúde, pelo contato com o especialista, possibilitando discutir condutas e fazer o encaminhamento do paciente para o Cedeba dos pacientes que exijam atendimento da Atenção Secundária.

A teleconsultoria especializada, ainda segundo Roberta Lobo, contribuirá para a atualização dos médicos da APS, porque os especialistas oferecerão sugestão de leituras de documentos científicos. “Será uma troca muito oportuna e enriquecedora”, pontuou.

Ascom do Cedeba

Notícias relacionadas