Notícias /

Webnário discute as Doenças de Transmissão Vetorial

01/10/2020 10:59

A doença de Chagas, esquistossomose, leishmanioses (LV e LTA), leptospirose e malária são doenças de notificação compulsória, que provocam relevante impacto epidemiológico, social e econômico. Com exceção da malária, elas ocorrem em ampla distribuição geográfica, e têm potencial de gravidade e letalidade. No Brasil, apesar das ações de prevenção e controle, ainda verifica-se uma tendência de elevada morbimortalidade por essas doenças. Diante desse quadro, é fundamental que os profissionais de saúde estejam alertas para essa suspeição e conduzam os casos de acordos com os protocolos e normas técnicas estabelecidas. Nesse contexto, a qualificação dos profissionais, a instrução da população e as redes de saúde podem reduzir a morbimortalidade e a evolução para formas graves da doença.

Neste sentido, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Divep/Sesab), em parceria com o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), a Diretoria de Assistência Farmacêutica (Dasf) e o Telessaúde, da Diretoria de Atenção Básica (DAB), estão realizando o 1ª Webinar sobre Doenças de Transmissão Vetorial: Epidemiologia, Manejo Clínico, Diagnóstico e Tratamento. O evento, que teve início na manhã de ontem (30), e segue até esta quinta-feira (1), das 09h às 17h, tem como objetivo promover a capacitar e atualização dos profissionais e estudantes de saúde sobre Doenças de Transmissão Vetorial, com ênfase nos aspectos de vigilância epidemiológica, prevenção, controle e diagnóstico destas doenças.

No primeiro dia do evento, que reuniu especialistas referências no tema, foram discutidos aspectos relacionados ao cenário epidemiológico das Doenças de Transmissão Vetorial no Estado, sua disseminação, transmissão, diagnóstico e tratamentos, assim como apresentação de notas técnicas, manuais e protocolos.

Para Cristiane Medeiros, uma das organizadoras e palestrante neste primeiro dia do evento, “Existe um silêncio e uma falta de conhecimento sobre doença de Chagas, inclusive no setor saúde. Assim, o webinário sobre Doenças de Transmissão Vetorial está sendo uma excelente oportunidade para falar sobre doença de Chagas e divulgar a nota técnica nº 03/2020 Divep/Lacen/Dasf/Suvisa/Sesab sobre o diagnóstico e tratamento da doença. Estratégias de educação permanente e educação em saúde são pilares fundamentais para começar a mudar esse cenário”, destaca.

“No que se refere a malária, que não é uma doença endêmica no Estado, constata-se um baixo conhecimento dos profissionais de saúde sobre sinais e sintomas compatíveis com a suspeita da malária, bem como, limitado conhecimento/atualização sobre métodos de diagnóstico e aspectos terapêuticos, além dos fluxos e métodos preconizados para diagnóstico e notificação do agravo e acesso aos medicamentos antimaláricos. Nesse contexto, o evento (webnário) representa uma importante estratégica para consolidação de aspectos gerais do Programa de Controle da Malária na Bahia, de forma articulada com os demais programas estaduais das Doenças de Transmissão Vetorial (Chagas, leishmanioses, esquistossomose e leptospirose). O webnário possibilita amplo alcance dos profissionais de saúde nos diferentes territórios do estado da Bahia. Promove articulação de diferentes diretorias da Sesab na temática sobre doença de tranmissão vetorial” , pontou Gabriel Muricy – biomédico e Referência Técnica do GT Malária/Divep.

A técnica Gabriella Madureira, Grupo Técnico – GT Esquistossomose/Divep reforçou a importância em se debater o tema das Doenças de Transmissão Vetorial apresentadas entre os profissionais. “Apesar de vivermos um ano atípico, por conta da pandemia do novo coronavirus, precisamos manter as atividades de rotina, pois os casos continuam a acontecer, e a desaceleração dessa assistência pode revelar um quadro pós pandemia muito mais severo para aqueles que são acometidos por alguma dessas doenças”.

A programação deste segundo dia, discutirá além de aspectos sobre a conduta dos profissionais de saúde/equipes de saúde para investigação epidemiológica, diagnóstico clínico, o diagnóstico laboratorial e o acesso aos medicamentos e tratamento destes agravos (fluxos e métodos). Para conferir a programação, clique aqui.

Para assistir à gravação do primeiro ou Ao Vivo este segundo dia, acesse o canal do Telessaúde no Youtube ou clique aqui.

Profissionais e gestores que desejarem mais informações sobre a temática das Doenças de Transmissão Vetorial, na página da Sesab é possível encontrar notas técnicas, boletins, manuais, material educativo, dados epidemiológicos, entre outros.

Notícias relacionadas