Notícias /

SIPAT do Hospital do Subúrbio aborda saúde integral do trabalhador

28/10/2020 09:50

O Hospital do Subúrbio (HS) realiza até a próxima quinta-feira, 29 de outubro, a 10ª Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho (SIPAT). A programação conta com temas diversos que abordam a saúde do trabalhador de forma integral, considerando o seu bem-estar físico e mental. Para isso, a equipe de Segurança do Trabalho realiza as atividades da SIPAT com a colaboração do Serviço de Nutrição, Psicologia, Gerência de Pessoas, Medicina do Trabalho e Bombeiros.

“A intenção é conscientizar o colaborador sobre o cuidado na execução da atividade laboral. Esta é uma semana destinada a ações de divulgação em prol de atitudes de prevenção de acidentes”, explica o engenheiro de Segurança do Trabalho Marco Ribeiro. Neste ano de 2020, a média registrada foi de 4 acidentes por mês, número considerado baixo no universo de mais de 2 mil profissionais que atuam no hospital. O engenheiro destaca que grande parte dos acidentes ocorrem em virtude da desatenção ou descuido no manuseio e descarte de materiais perfurocortantes. “Lidar com perfurocortantes requer atenção especial dos colaboradores”, reforça Marco.

Estimular o profissional sobre a importância de comunicar oficialmente o acidente de trabalho é, segundo a técnica de Segurança do Trabalho Fátima Souza, um dos desafios da equipe, que incluiu nas atividades da SIPAT explicações sobre o fluxo de acidente de trabalho, seja ele típico ou biológico. “Apesar de falarmos sobre o assunto nos diálogos diários de segurança, na SIPAT nós temos a oportunidade de conversar em um ambiente distinto dos setores e fazer uma abordagem diferente”, ressalta.

No primeiro dia de SIPAT, os temas foram além da informação sobre o fluxo de acidente de trabalho adotado no HS. A psicóloga Mariana Leal, da Gerência de Pessoas, e a equipe do Serviço de Psicologia falaram sobre saúde mental e orientaram os profissionais a respeito da rede de apoio de assistência psicológica e psiquiátrica em Salvador e região metropolitana. “Gostei muito. As explicações são de extrema importância. A equipe esclareceu serviços dos quais dispomos e que, muitas vezes, não conhecemos. Geralmente damos atenção ao que podemos ver fisicamente e negligenciamos o lado emocional”, afirmou a enfermeira Meire Elide.

Temas como depressão, ansiedade e transtorno de estresse pós-traumático fizeram parte do bate-papo. “As pessoas têm trazido situações vivenciadas no ambiente de trabalho ou que ocorreram com familiares. Estamos abrindo um canal de comunicação com os colaboradores, esclarecendo dúvidas e conversando sobre eventuais mudanças emocionais vividas em decorrência da pandemia de COVID-19”, pontuou Mariana Leal.

Ascom do Hospital do Subúrbio

Notícias relacionadas