Notícias /

Diretora do Cedeba enfatiza importância da vacinação para pessoas com diabetes em webpalestra do Telessaúde Bahia

13/11/2020 10:16

No Brasil, do total de mortes por influenza (gripe), 76% ocorrem em grupos de risco e 23% em pessoas com diabetes, grupo que o risco de Síndrome Respiratória Aguda é 2,5 vezes maior do que na população em geral e a hospitalização é 6% mais frequente. A influenza é umas principais causas de morte com 250 a 500 mil óbitos/ano.

A infecção por influenza aumenta o risco de problemas cardíacos agudos: infarto do miocárdio e insuficiência cardíaca.

Essas estatísticas foram apresentadas pela fundadora e diretora do Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia, a endocrinologista Reine Chaves, na Webplaestra do Telessaúde Bahia: “Imunização na Pessoa com Diabetes: Prioridades e importância. A palestra integra a programação do Dia Mundial do Diabetes (14 de Novembro), com o objetivo de chamar a atenção do planeta para o aumento da doença.

A palestrante destacou a importância de se proteger a população com diabetes contra doenças que podem ser prevenidas com vacinas. No encerramento, Reine Chaves disse que ” a vacinação é um dos caminhos para melhorar a qualidade de vida “.

As pessoas com diabetes – explicou – têm maior risco de infecção e de morte,também. A hiperglicemia (açúcar alto no sague) altera múltiplos mecanismos imunológicos. As infecções que acometem as pessoas com diabetes têm apresentação clínica semelhante a da população em geral. Têm as mesmas causas e devem ser tratadas da mesma forma, mas apresentam maior gravidade e causam mais mortes.

Mas a imunização não é necessária apenas para a influenza. É muito importante também para a doença pneumocócica (pneumonia), tuberculose, doenças causadas pelo vírus varicela Zoster (vvz), hepatite B e Haemophilus influeza tipo B. Além – claro – das vacinas que fazem parte do calendário do Ministério da Saúde e são para toda a população.

Além da proteção com a vacina, muito importante segundo a endocrinologista, para a pessoa com diabetes é manter as taxas de glicemia sob controle, evitando flutuações, porque as complicações das infecções são mais graves se a o diabetes estiver

descompensado. E segundo Reine Chaves, estudos mostram que no Brasil, mesmo nas regiões mais desenvolvidas (Sul e Sudeste) o controle glicêmico precisa melhorar.

A pessoa com diabetes também tem três vezes mais risco de ter tuberculose. Com a vacinação desse grupo, pode -se reduzir em 30% novos casos e, também, o número de mortes. As pessoas diabéticas com mais de 60 nos têm, ainda, três vezes mais chance de ter herpes zoster (popularmente conhecido como fogo selvagem).

Ascom do Cedeba

Notícias relacionadas