Notícias /

Que a onda do Novembro Azul/Diabetes se espalhe por todos os meses

30/11/2020 09:11

A primeira aplicação de insulina, aos quatro anos, ainda é uma lembrança forte para a jornalista Rosana Silva. Hoje, aos 41, ” uso de insulina é tão natural como escovar os dentes”,diz.Na sua longa caminhada com Diabetes Mellitus tipo 1(DM1), o momento mais difícil foi a adolescência, quando o controle da doença foi mais desafiador . Veio a retinopatia diabética(complicação da visão associada ,principalmente, ao descontrole glicêmico), mas atualmente está sob controle.

Há mais de 20 anos, Rosana é acompanhada no Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia ( Cedeba)que define ” como um lugar de acolhimento, que ensina como cuidar e viver com diabetes, mostrando-nos os pilares para o tratamento: medicação, alimentação e exercícios físicos. Ao chegar ao Cedeba , no final da adolescência passou pelo Setor Infanto-Juvenil(SIJU) e não esquece do Dr. Adan, seu endócrino pediatra. Depois fui para Dra Maria do Céu ,e atualmente, Dra Aline. Todos maravilhosos”, avalia

INFORMACÃO

Com dois cursos de graduação na área de Comunicação – Gestão Cultural e Jornalismo ( 2019) – Rosana entende que a informação é muito importante para a pessoa com diabetes estar atenta ao auto – cuidado. Neste Novembro Azul, quando o Cedeba fez um reforço de informações sobre cuidados com a doença por meio de publicações e vídeos educativos, Rosana acompanhou com muita atenção, mesmo tendo aprendido muito na sua longa caminhada com a equipe multidisciplinar. Recentemente escreveu sobre diabetes, atuando como free lance no Jornalismo.

No Cedeba, Rosa conta com o forte trabalho da equipe multidisciplinar: “Psicólogo, nutricionista, endocrinologista, enfermagem são um importante apoio para a pessoa com diabetes, mas é preciso seguir o caminho do auto – cuidado que somos estimulados a buscar com a equipe do Centro de Referência”.

Para a fundadora e diretora do Cedeba, Reine Chaves Fonseca, Novembro, o mês que o mundo se mobiliza chamando a atenção para o aumento dos casos de diabetes ( principalmente o tipo 2, doença silenciosa que representa 90% dos casos )chega ao fim. Mas – observa – é preciso estar atento todos os dias. As pessoas que têm informações sobre diabetes devem compartilhar porque a educação em saúde faz a diferença”.

A diretora do Cedeba fez a observação, ao avaliar as ações do Dia Mundial do Diabetes/Novembro Azul. Com a pandemia – observou – não foi possível fazer eventos presenciais, como acontece desde a fundação do Centro de Referência,há 26 anos,mas centramos a ação no reforço de informações com textos e vídeos educativos, .chamando a atenção para os cuidados que ajudam a melhorar a qualidade de vida da pessoa com diabetes , além de ajudar a evitar e/ou retardar as complicações da doença que incapacitam e podem levar à morte .

EDUCACÃO , O CAMINHO

A educação em saúde é o caminho essencial para a prevenção e controle do diabetes, destaca Reine Chaves. E o Cedeba , desde a fundação, – pontuou – foca seu trabalho na educação. Produzindo material educativo, reforçando o papel do auto – cuidado por meio de atendimento individual e em grupos. Também conta com o Programa de Educação Continuada que trabalha os profissionais de Atenção Primária de Saúde (APS). Agora – destacou – com o Telecedeba oferecendo teleconsultoria especializada- o especialista discutindo e orientando o profissional da APS, a assistência à pessoa com diabetes ,de forma descentralizada, será ampliada. Teremos – disse – mais prevenção, maior rastreamento ( identificação de novos casos), tratamento precoce e menor presença de complicações.

Por esse longo caminho – destacou – teremos menos pessoas com complicações do diabetes e estatísticas menos tristes ,como as do pé diabetico,por exemplo,. a principal causa de amputação não – traumática ,liderando com 90% a demanda de próteses que o Cepred dispensa.

Mas – finalizou – mesmo sendo o diabetes um desafio para o planeta pelo crescimento da doença, o caminho da educação para aumentar a prevenção e estimular o auto- cuidado pode mudar a realidade.

Ascom do Cedeba

Notícias relacionadas