Notícias /

Médico do HGRS publica artigo que comprova viabilidade cirúrgica para resgate funcional do paciente com AVC

18/02/2021 15:30

Coordenador do serviço e da residência de neurocirurgia do Hospital Geral Roberto Santos (HGRS), o neurocirurgião Leonardo Avellar publicou, na revista médica World Neurosurgery, o artigo intitulado Stroke Microsurgical Thrombectomy Human Placenta Simulator (Simulador de Placenta Humana de Trombectomia Microcirúrgica de AVC, em tradução livre para o português). O estudo divulgado, no último mês, pelo periódico oficial da Federação Mundial das Sociedades Neurocirúrgicas foi realizado em conjunto com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

De acordo com Avellar, trata-se de um estudo de laboratório que fundamenta o projeto de abordagem neurocirúrgica tardia em pacientes com acidente vascular cerebral isquêmico (AVCI), promovendo a reativação cerebral da área secundária. Ou seja, com modelos de placenta humana, os pesquisadores comprovaram a viabilidade de cirurgia para o resgate funcional do paciente sequelado.

“O modelo de placenta é excelente para treinamento em neurocirurgia porque é muito próximo do cérebro. Conseguimos, com ele, simular vasos da artéria cerebral e, assim, oferecer fundamentação teórica para reprodutibilidade do projeto que pretendemos implantar no Hospital Geral Roberto Santos em breve”, conta o chefe da neurocirurgia do HGRS.

A expectativa é de que a Bahia seja o quarto local no mundo a implantar a abordagem neurocirúrgica tardia em AVCI. Hoje, esse tipo de procedimento só é feito em um estado do Brasil (Minas Gerais), na Flórida e no Canadá.

“Estamos falando de algo revolucionário para a medicina. O AVC é uma das principais causas de morte e incapacitação no mundo. Nos primeiros sinais da doença, há um prazo de quatro a seis horas para reverter sequelas e isso, comumente, é feito com o uso de drogas”, explica Avellar, que acrescenta: “então, com a trombectomia mecânica – procedimento cirúrgico para desobstruir o vaso sanguíneo no cérebro – teremos cerca de 24 horas”.

Outros cinco neurocirurgiões participaram do trabalho publicado na World Neurosurgery. São eles: Marcelo Magaldi Oliveira, Arthur Nicolato, José Augusto Malheiros, Pollyana Helena Vieira Costa, Ana Clara Fidelis, Maria Angélica Tibães Oliveira e Taise Mosso Ramos e Geraldo Muzzi Lima.

Ascom do Roberto Santos

Notícias relacionadas