Notícias /

Teleatendimento psicológico é aprovado pelos pacientes do Cedeba

11/03/2021 15:04

Desde o início da pandemia, o Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba) vem assistindo os pacientes com o atendimento remoto, diante da necessidade do distanciamento social. A psicóloga Aline Fonseca, do Núcleo de Obesidade do Cedeba, mostra a importância dessa nova forma de assistência para os pacientes com obesidade.

O atendimento remoto em Psicologia tem sido usado largamente no país com a pandemia. Acredita que veio para ficar?
Acredito que sim. Muitos pacientes já estão adaptados a esse novo modelo e não pretendem retornar ao presencial.

Quais as principais queixas dos pacientes?
As queixas de ansiedade estão entre as principais. Insegurança em relação à doença, em relação ao futuro financeiro e sustento da família, aumento dos conflitos familiares e violência, dificuldade de manter uma rotina em relação aos cuidados com a alimentação, tristeza, falta de esperança em relação ao futuro, dificuldades com o sono, aumento do apetite, aumento do uso de álcool. Muitos pacientes que estavam estáveis emocionalmente, durante a pandemia, estão apresentando aumento na frequência e intensidade de sintomas e dificuldade de adaptação à nova realidade.

O controle do peso se tornou mais difícil com as restrições para fazer atividade física?
Inserir uma rotina de atividade física é um desafio no tratamento da obesidade em qualquer tempo. Com a pandemia, temos um outro obstáculo que é a restrição de locais para a prática dessas atividades e o medo da exposição. Temos incentivado a prática da atividade física em casa.

Como vem funcionando o atendimento psicológico do Cedeba aos pacientes com obesidade?
Desde o início da pandemia, temos ofertado assistência aos nossos pacientes de forma remota. As consultas são realizadas por chamada de voz ou vídeo. Contatos via mensagem e e-mail também estão sendo utilizados para manter o paciente vinculado ao tratamento e à equipe. Os atendimentos de psicoterapia foram mantidos, migrando para forma remota e iniciamos o atendimento via plantão psicológico para atender as demandas urgentes.

Como avalia o resultado desse trabalho?
Temos recebido um bom retorno dos pacientes. No geral sentem-se acolhidos pela equipe. Dentro das limitações do momento, estamos conseguindo manter nossa rotina de assistência com menor prejuízo ao paciente. Apesar da dificuldade de contato com alguns pacientes devido ao sinal do telefone, principalmente os que moram na zona rural, destaco como vantagem do atendimento remoto a maior frequência do paciente que reside no interior às consultas por não precisar se deslocar até Salvador.

Como estão sendo acompanhados os pacientes em preparação para a cirurgia bariátrica e os que já fizeram a cirurgia?
As cirurgia bariátricas foram suspensas por um período. Quando liberadas, iniciamos o processo de avaliação de forma remota para diminuir o tempo de exposição do paciente, já que parte da avaliação se mantem presencial. Os grupos que realizávamos antes da pandemia com pacientes com critério clínico para a cirurgia foram transformados em um programa de psicoeducação remota individual, através de vídeo chamada. O programa remoto tem os mesmos objetivos do grupo presencial, focando na influência das emoções na alimentação, desenvolvimento de metas e planos de ação, estratégia de resolução de problemas e prevenção de recaída. Para os pacientes pós cirurgia bariátrica o atendimento também está sendo realizado de forma remota seguindo a demanda do paciente.

Ascom do Cedeba

Notícias relacionadas