Notícias /

Na pandemia, trabalhadores da saúde têm assistência especial no Cedeba para tratar estresse

22/04/2021 15:59

No cenário da pandemia da Covid-19, trabalhadores da saúde atuam como se fossem soldados na linha de frente durante a guerra: prestando assistência direta ou realizando atividades de apoio aos pacientes contaminados com o vírus. Diante dessa realidade, o Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba), por meio do Sistema Integrado de Assistência à Saúde do Trabalhador (SIAST), apoiará seus colaboradores que apresentem estresse agudo/agudo continuado, com o Projeto de Assistência Psicológica na COVID-19 (Projeto Integra Assyst I – Remoto).

Segundo a psicóloga do SIAST/Cedeba, Viviana Oliveira, a pandemia da Covid-19 tem contribuído para o aumento do estresse da população em geral, mas é muito mais intenso no caso dos trabalhadores em saúde. “Eles convivem com a morte de pacientes, de colegas de trabalho, de pessoas da família e amigos”, explica. O aumento do estresse fica bem evidenciado no aumento da demanda do SIAST. “Nosso trabalho cresceu muito, diante da necessidade de dar suporte psicológico aos nossos trabalhadores”, observa a profissional.

Acolhida importante

Por isso, a ideia do Projeto Assyst, acolhida pela diretora do CEDEBA, Reine Chaves, é muito importante diante da crescente demanda da busca de apoio psicológico pelos servidores nesta longa pandemia.

O Projeto Assyst I -Remoto, que tem a coordenação e execução da psicóloga Samildes Silva Magalhães, contará com uma equipe de psicólogos e médicos pesquisadores voluntários (11 profissionais) e a psicóloga do Cedeba. Os funcionários encaminhados pelo Cedeba serão atendidos para alcançar os objetivos dos Primeiros Cuidados Psicológicos (PCP), visando à redução das perturbações e ao funcionamento adaptativo, evitando que eles evoluam para quadros psicológicos mais disfuncionais como Transtorno do Estresse Pós Traumático.

Segundo Viviane Oliveira, o projeto está na fase de captação dos servidores interessados e deverá atender 66 colaboradores. A assistência terá atendimento remoto no ambiente do trabalho, por videoconferência, em sala com proteção acústica. Serão quatro sessões iniciais e mais quatro de suporte e monitoramento. Para os casos em que for identificada a necessidade de tratamento continuado, será feita a regulação. O projeto, no formato de pesquisa, foi aprovado pelo Comitê de Ética da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab).

A técnica

O Projeto Integra Assyst I – Remoto utiliza a terapia Eye Movement Dessensitization and Reprocessing (EMDR), que em português significa Dessensibilização e Reprocessamento através do Movimento dos Olhos. É uma nova abordagem psicoterapêutica que desbloqueia memórias dolorosas através de estimulação bilateral do cérebro. A técnica foi descoberta pela cientista americana Francine Shapiro no final da década de 80 e aprovada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para tratar o Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT), como assaltos, estupros e catástrofes. Atualmente estudos científicos e a experiência clínica apontam resultados positivos para outros transtornos como ansiedade, dor crônica, luto, dependência química, depressão, transtorno bipolar e doenças psicossomáticas.

Ascom do Cedeba

Notícias relacionadas