Notícias /

Mitos do diabetes: Cedeba conta com equipe multidisciplinar para orientar pacientes

09/11/2021 10:15

O diagnóstico de diabetes põe em cena os mitos sobre a alimentação que cercam a doença. E são muitos, daí a necessidade de um intenso e contínuo trabalho para desfazer o aprendizado, como explica a nutricionista do Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba), do Ambulatório de Diabetes, Suane Sousa. Neste Novembro Azul – 14 é o Dia Mundial do Diabetes – o reforço de informações passa também pelas orientações sobre a busca da alimentação saudável, que deve ser preocupação das pessoas com diabetes e da população em geral.

De acordo com a nutricionista, é preciso entender alimentação saudável como a que prioriza os alimentos naturais, o consumo moderado dos pouco processados e o restrito dos alimentos ultra processados, que possuem muito sódio e conservantes. A receitá é simples: comer comida de verdade, como faziam as pessoas antes do crescimento da oferta de alimentos industrializados, conforme orienta a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Mitos

Os mitos sobre alimentação para o diabético são trabalhados fortemente no ações educativas que o Cedeba desenvolve com crianças, adolescentes e adultos que contam com o atendimento individual da equipe multidisciplinar. Segundo a pedagoga Ceiça Cristo, que faz o trabalho na brinquedoteca onde os pequenos pacientes aprendem a contar carboidratos e montar cardápios, muitas mães sacrificam a alimentação de toda a família para comprar alimentos nas formas diet e integral para o filho que teve o diagnóstico de diabetes.

A obrigatoriedade de o diabético comer apenas alimento integral ou diet é um mito. Os alimentos integrais possuem apenas mais fibras, mas têm a mesma quantidade de carboidratos dos não integrais. Logo, a pessoa com diabetes pode consumir os dois, mas respeitando a quantidade de carboidratos prevista no plano alimentar.

Outro mito que prejudica a alimentação saudável da pessoa com diabetes é o medo de consumir raízes. De acordo com a nutricionista do Cedeba, o importante é se atentar a quantidade consumida, mesmo pensamento que deve ser levado em conta na hora de consumir as frutas. Uva, melancia, banana e tantas outras estão entre as mais temidas por muitos diabéticos pelo risco de elevação da glicemia. No Cedeba, os pacientes aprendem que todas as frutas são permitidas, desde que respeitadas as quantidades com base no cálculo de carboidratos.

“O cálculo da quantidade de carboidrato estabelece relação com a quantidade de insulina prescrita. A pessoa com diabetes tem que participar do processo, aprendendo a reconhecer, por exemplo, sinais de hiper e hipoglicemia e a respeitar as quantidades e horários das refeições”, ressalta Suane.

De acordo com a nutricionista, a participação da família é muito importante para garantir a alimentação saudável. O ideal é que todos sigam por esse caminho , desde a escolha à preparação dos alimentos. “Não se fala em dieta para a pessoa com diabetes, mas em alimentação de qualidade”, conclui.

Notícias relacionadas