Notícias /

II Encontro Nacional de Sanitaristas da RedEscola tem participação da ESPBA

29/11/2021 14:12

Partilha de saberes, trocas de experiências e socialização de práticas dos egressos dos Cursos de Especialização em Saúde Pública deram tom ao II Encontro Nacional de Sanitaristas e I Mostra Cientifica, fomentados pela Rede Brasileira de Escolas de Saúde Pública – RedEscola. O evento, que ocorreu entre os dias 23 a 26, em formato virtual, contou com a participação ativa da Escola de Saúde Pública da Bahia (ESPBA/SUPERH), que compõe um dos 25 estados com instituições formadoras do SUS voltadas para a qualificação de profissionais da área da saúde e afins para a atuação na área de saúde pública como sanitarista.Este ano, o tema central do Encontro Pandemia, Metamorfoses e Ciência: aprendizados e lições para a educação e o trabalho em saúde” discutiu a educação e o trabalho interprofissional no SUS no contexto da pandemia, a vulnerabilidade dos trabalhadores de saúde no enfrentamento à Covid-19 e as contribuições cientificas, de inovação e pesquisa para o fortalecimento do SUS.

As reflexões foram pautadas nos projetos de intervenção/pesquisa/relatos de experiência, apresentados como Trabalhos de Conclusão de Curso pelos sanitaristas, elaborados no âmbito da gestão, educação e/ou atenção do Sistema Único de Saúde. Ao todo foram 38 trabalhos expostos, dos quais sete produções realizadas por egressos do Curso de Especialização em Saúde Púbica da ESPBA.

Na ocasião do encontro também foi lançado o E-book  “A Educação Interprofissional e o Trabalho Colaborativo no enfrentamento da Pandemia de COVID -19”. Com produção editorial da Coordenação de Desenvolvimento Educacional e EAD – CDEAD/ENSP/FIOCRUZ e da RedEscola, a publicação foi concebida a partir do Ciclo de Debates Virtuais, evento realizado pela RedEscola em julho de 2020,  e aborda a importância da atuação em rede e das práticas colaborativas no cuidado à saúde no âmbito do SUS, segundo o enfoque da Educação Interprofissional.

Sobre a especialização

A proposta político pedagógica da Especialização foi coletivamente construída, com docentes e pesquisadores da Escola Nacional de Saúde Pública e das instituições formadoras da RedEscola, dentre as quais, a Escola de Saúde Pública da Bahia. A iniciativa faz parte do projeto “Nova Formação em Saúde Pública na Rede Brasileira de Escolas de Saúde Pública: uma abordagem interprofissional”, fruto da parceria entre a Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde (SGETS/MS), a Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) e a coordenação nacional da RedEscola.

Na Bahia, a qualificação é realizada pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), através da Superintendência de Recursos Humanos da Saúde (Superh)/ Escola de Saúde Pública da Bahia (ESPBA) e conta com a parceria dos Núcleos Regionais de Saúde.

Descentralização

Como oferta permanente da Escola de Saúde Pública da Bahia (ESPBA), o Curso de Especialização em Saúde Pública tem sido estrategicamente sistematizado para contemplar todos os Núcleos Regionais de Saúde (NRS) do estado. A descentralização visa contribuir com a implementação de novas práticas e organização do trabalho em saúde, tomando como referência os princípios do SUS e a interprofissionalidade.

Na Bahia, nas três etapas ofertadas, 185 profissionais foram qualificados e refletiram sobre conceitos e práticas das diversas subáreas da saúde coletiva, a demanda agora é estimular a capacidade crítica e reflexiva de aproximadamente 220 sanitaristas, dos nove NRS da Bahia.

Fonte: ESPBA/SUPERH

ESPBA\especialização

Notícias relacionadas