Histórico

O Centro de Informações Antiveneno (Ciave) é o centro de referência estadual para intoxicações exógenas no estado da Bahia, prestando assistência a pacientes e orientação toxicológica especializada, em plantões ininterruptos.

Criado em agosto de 1980, constituía um setor do Hospital Geral Roberto Santos – HGRS e foi o segundo dos 35 centros implantados pelo Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas (SNITF), hoje SINITOX. Em 1999, na reestruturação da SESAB, o Centro passou a ser uma unidade gestora e Centro de Referência Estadual em Toxicologia.

Administrativamente está subordinado à Diretoria da Rede Própria sob Gestão Direta – DIRPGD, da Diretoria de Gestão da Rede Própria – DGRP, integrando a Superintendência de Atenção Integral à Saúde – SAIS da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia – SESAB. Mantém vínculos técnicos com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA, FIOCRUZ e CENEPI no Ministério da Saúde e está localizado anexo ao Hospital Geral Roberto Santos, no bairro do Cabula, em Salvador-Bahia.

O CIAVE obedece a todos os critérios preconizados pela Organização Mundial de Saúde – OMS e pelo Ministério da Saúde – MS para um centro de informação e assistência toxicológica, sendo considerado centro de excelência em Toxicologia no Brasil.

Como Centro Especializado, integra a Rede Nacional de Centros de Informações e Assistência Toxicológica – RENACIAT, coordenada pela ANVISA, que além de ações normativas e reguladoras, promove o aprimoramento científico através de programas de capacitação, elaboração de manuais, monografias e bancos de dados toxicológicos. É também membro fundador da Associação Brasileira de Centros de Informação e Assistência Toxicológica e Toxicologistas Clínicos – ABRACIT.

Ao longo dos 30 anos de funcionamento, o CIAVE tem alcançado avanços significativos na prestação de assessoria especializada em Toxicologia para serviços públicos e privados, estudantes e profissionais de Saúde e à população em geral nas situações de emergências tóxicas, além de orientação das medidas preventivas contra intoxicações.

Em 2017 completa 37 anos de atividades ininterruptas e de relevantes serviços prestados à população. Anualmente, atende cerca de 7.500 ocorrências tóxicas e registra, através do SINAN, uma média de 15.000 notificações de acidentes por animais peçonhentos ocorridos em todos os municípios do Estado.

Já realizou 37 cursos anuais de Toxicologia Básica para estudantes e profissionais, capacitando mais de 3.500 pessoas. Treinou e capacitou, através de estágio, com duração de 1 ano, cerca de 1.200 estudantes das áreas de Medicina, Medicina Veterinária, Farmácia, Biologia, Psicologia e Enfermagem oriundos de diversas faculdades do Estado.

Nos seus projetos de descentralização de atividades e de capacitação, já treinou mais de 5.600 emergencistas e cerca de 15.000 agentes comunitários de saúde de 400 municípios da Bahia. Elaborou e distribuiu entre profissionais de saúde e de educação, estudantes e à população em geral, mais de 450.000 unidades de material informativo como cartazes, cartilhas, folhetos, apostilas, manuais, etc., sobre os principais grupos de agentes tóxicos.