Meningites

A meningite é uma doença grave e temporalmente ilimitada, habitualmente presente entre os membros de uma população e cujo nível de incidência se situa sistematicamente nos limites de uma faixa que foi previamente convencionada (doença endêmica). Ela pode acometer indivíduos de qualquer idade e é causada por diversos agentes infecciosos como bactérias, vírus, parasitas e fungos. As meningites bacterianas são, do ponto de vista clínico, as mais graves.

A doença meningocócica (causada pela Neisseria meningitidis), pela magnitude, gravidade e potencial de ocasionar surtos e epidemias, apresenta maior importância em saúde pública. As meningites assépticas podem se expressar por meio de surtos, porém com pouca gravidade.

Aspectos Epidemiológicos

Tempo: Ocorre em qualquer período do ano. As meningites bacterianas têm maior incidência nos períodos de inverno e as assépticas no verão.

Pessoa: O grupo etário de maior risco são as crianças menores de 5 anos, mas as crianças menores de 1 ano são mais suscetíveis à doença.

Reservatório: Homem.

Notificação de casos suspeitos

De acordo com a Portaria SVS/MS Nº 5 de 21 de fevereiro de 2006, Anexo I, todo caso de meningite é de notificação obrigatória às autoridades locais de saúde e todo caso de doença meningocócica deve ser notificado imediatamente.

Deve-se realizar a investigação epidemiológica em até 48 horas após a notificação, avaliando a necessidade de adoção de medidas de controle pertinentes.

A investigação deverá ser encerrada até 60 dias após a notificação. A unidade de saúde notificadora deve utilizar a ficha de notificação/investigação do Sistema de Informação de Agravos de Notificação – Sinan encaminhando-a para ser processada, conforme o fluxo estabelecido pela Secretaria Municipal de Saúde.

As notificações de forma imediata visam à prevenção de novos casos e até mesmo de um surto.

Vacinação

As vacinas contra meningite são específicas para determinados agentes etiológicos. O calendário básico de vacinação da criança já contempla a vacina contra o Haemophilus influenzae tipo b (Hib), que protege contra doenças como a meningite, pneumonia, septicemia e otite. A vacina BCG, que previne contra as formas graves de tuberculose, e as vacinas contra meningococo C e Streptococcus pneumoniae, são utilizadas somente em situações especiais.

Para mais informações, acesse o site da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep)