Escola de Formação Técnica em Saúde (EFTS)

Na Bahia, uma das linhas de ação do Plano Estadual de Saúde (2007-2011) é a Gestão do Trabalho e da Educação Permanente, que tem como uma de suas estratégias a formação técnica dos trabalhadores de nível médio do SUS. Cabe a Escola de Formação Técnica em Saúde Prof. Jorge Novis (EFTS) o desenvolvimento dessa estratégia. Para tanto, a Escola vem trabalhando na lógica do Pacto pela Saúde, buscando contribuir para o fortalecimento do SUS e, com isso, a execução dos processos educativos acontece de maneira centralizada e descentralizada1, tendo os municípios como principais parceiros.

Histórico

A Escola de Formação Técnica em Saúde (EFTS) foi criada em novembro de 1994 por meio da Lei 6.660/94, inaugurada em agosto de 1996 e autorizada para desenvolver cursos pela Portaria 3983/97 SEC-BA. Pertence à Secretaria Estadual de Saúde da Bahia/SESAB e está vinculada à Superintendência de Recursos Humanos/SUPERH.

Essa Escola é oriunda do Projeto Larga Escala da década de 80, época que buscava formar atendentes de enfermagem sem qualificação específica, e se fortaleceu com o Programa de Formação dos Auxiliares de Enfermagem (PROFAE) na década de 90, onde teve a missão de potencializar a formação desse pessoal, oferecendo cursos de auxiliar e técnico de enfermagem.

A Escola compõe a Rede de Escolas Técnicas do SUS com 36 escolas distribuídas em vários estados da federação coordenada pela Secretaria de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde do Ministério da Saúde (SEGETES), a qual foi criada em 2003.

Consoante com a Política Estadual de Gestão do Trabalho e Educação Permanente no Estado da Bahia (2007-2011), a EFTS, responsabiliza-se pela formação do pessoal de nível médio e pelo ordenamento dos campos de prática da SESAB no Estado da Bahia.

Por meio da SEGETES, a EFTS recebe recursos para ordenar e desenvolver a formação de nível médio no no Estado da Bahia.