Secretaria da Saúde Portal Sesab SUS - 20 Anos
English Spanish

Últimas Notícias

Dia Mundial de Conscientização das Mãos é lembrado com atividades educativas no HEC

E-mail Imprimir PDF

Por conta do dia Mundial de Higienização das Mãos, próxima sexta-feira (05), o Hospital Estadual da Criança (HEC) realiza durante toda essa semana atividades de conscientização sobre a importância de uma correta higienização das mãos, que deve ser adotada não só dentro do hospital, mas em qualquer ambiente. 

Nesta terça-feira (02), as alunas de enfermagem da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) iniciaram a aplicação de um questionário para os colaboradores que estiverem na unidade (enfermeiros, técnicos, residentes, fisioterapeutas e médicos) sobre as dificuldades e facilidades encontradas para a adesão da prática. Essa aplicação se estenderá por toda a semana e faz parte de pesquisa, cujos resultados poderão ser usados para intervenções futuras.

Por conta do dia Mundial de Higienização das Mãos, próxima sexta-feira (05), o Hospital Estadual da Criança (HEC) realiza durante toda essa semana atividades de conscientização sobre a importância de uma correta higienização das mãos, que deve ser adotada não só dentro do hospital, mas em qualquer ambiente.

Já na sexta, as alunas da Faculdade Pitágoras e da Faculdade Anísio Teixeira (FAT), se juntarão às da UEFS para, fantasiadas, fazerem um cortejo pelo HEC. Nesse momento, elas passarão pelos setores cantando uma paródia educativa, logo após ensinarão a forma correta de lavagem das mãos e por fim entregarão brindes temáticos e funcionais, como sabonetes e álcool gel.

Para Vanessa Valéria Fonseca, coordenadora de enfermagem do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH), a conscientização de uma higiene adequada garante a qualidade de vida dentro e fora dos ambientes hospitalares. “Se a gente for ao banheiro, não basta só passar uma água nas mãos, mas sim lavar corretamente e depois usar o álcool gel. É comprovado cientificamente que o fator transmissor das infecções cruzadas (transmissão de um paciente para outro pele a pele, ou através de objetivos que já estiverem contaminados) é a falta de higiene das mãos. Portanto, sem as técnicas corretas, a gente não vai conseguir se proteger nem reduzir os números de infecções hospitalares. Por isso precisamos dessas ações para lembrar e ensinar essas práticas que aparentemente são bobas, mas muito importantes para o dia a dia”, conclui.