Secretaria da Saúde
Comissão Intergestores Bipartite CES SUS

Criança e Aleitamento Materno

E-mail Imprimir PDF
Modificar el tamaño de letra:

As ações de promoção à saúde, prevenção de agravos e de assistência à criança pressupõem o compromisso de prover qualidade de vida para que a criança possa crescer e desenvolver todo o seu potencial.

As linhas de cuidado prioritárias da Área Técnica de Saúde da Criança e Aleitamento Materno vêm ao encontro dos compromissos do Brasil com os Objetivos do Milênio, com o Pacto de Redução da Mortalidade Materna e Neonatal, com o Pacto pela Saúde e com o Programa Mais Saúde.

Aleitamento Materno

O aleitamento materno é a estratégia isolada que mais previne mortes infantis, além de promover a saúde física, mental e psíquica da criança e da mulher que amamenta. Amamentar é muito mais do que alimentar a criança e, em situações de emergência, torna-se ainda mais importante, pois o bebê fica vulnerável a infecções intestinais e respiratórias.

Dar de mamar é o fator mais eficaz de proteção para os bebês, pois o leite materno continua sendo um alimento seguro e excelente, quanto mais o bebê mama, mais ele tem saúde. Recomenda-se o aleitamento materno por dois anos ou mais, sendo exclusivo nos primeiros seis meses.

Bancos de Leite

Os bancos de leite realizam atendimento de coleta de leite humano de doadoras consideradas aptas a realizarem a doação. Muitas mulheres, quando estão amamentando, produzem um volume de leite além da necessidade do bebê, o que possibilitam que sejam doadoras. A doadora deve ser saudável e não usar medicamentos que impeçam a doação.

Acesse aqui: Bancos de Leite na Bahia

Mortalidade Infantil

De 2000 a 2007, morreram 42.181 crianças menores de um ano de idade na Bahia. O maior número de ocorrências foi verificado nos municípios de Salvador (7.688 óbitos), Feira de Santana (1.215 mortes), Vitória da Conquista (1.099), Juazeiro (886) e Itabuna (808). Em todo o estado, o Pacto pela Redução das Desigualdades alcançará 33 municípios eleitos prioritários.

Investimento: R$ 10,1 milhões

Municípios prioritários da Bahia: Salvador, Jaguaquara, Feira de Santana, Ribeira do Pombal, Vitória da Conquista, Santo Amaro, Juazeiro, Dias d'Ávila , Itabuna, Guanambi, Ilhéus, Santa Maria da Vitória, Camaçari, Irecê, Jequié, Serrinha, Porto, Seguro, Barreiras, Paulo Afonso, Lauro de Freitas, Alagoinhas, Eunápolis, Simões Filho, Teixeira de Freitas, Itamaraju, Bom Jesus da Lapa, Valença, Senhor do Bonfim, Casa Nova, Itapetinga,Santo Antônio de Jesus, Jacobina e Itaberaba. O que ganha a Bahia:

  • Equipes de Saúde da Família – Passa de 680 para 765 equipes
  • Núcleos de Apoio à Saúde da Familia (NASF) - Sobe de 26 para 95 o total de núcleos
  • Leitos de UTI - A oferta passa de 136 para 244 leitos
  • Leitos de UCI - De 183 passará a contar com 508 leitos

Leia mais em: Amamentação

 

Sesab nas Redes