Hemoba é premiada pelo REDOME

A Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba) recebeu hoje (17), em cerimônia realizada pelo REDOME (Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea), órgão ligado ao Instituto Nacional do Câncer (INCA), o Prêmio Dr. José Roberto Feresin Moraes de Cooperação ao REDOME.

A premiação encerrou as atividades do 9º Encontro do Registro de Doadores de Medula Óssea e Bancos Públicos de Sangue de Cordão Umbilical, que aconteceu durante esta semana no Rio de Janeiro. O encontro foi voltado para a rede de hemocentros, laboratórios, bancos de cordão públicos, centros de transplante e Ongs, envolvidos no trabalho realizado para que aconteça o transplante de medula óssea não aparentado, desde o cadastro no registro até a realização do procedimento no paciente.

O prêmio representa o reconhecimento pelo trabalho que a Fundação Hemoba tem desenvolvido ao longo dos últimos anos. Os dados registrados pela instituição apontam um crescimento significativo, o número de possíveis doadores cadastrados ultrapassou 30%, somente no último ano.

Além do desempenho no número de cadastros, mais de 27 mil em 2015, a Hemoba também recebeu o prêmio porque respondeu, no prazo médio de 9 dias, a todos os 44 pedidos recebidos para coletar amostras para segunda fase de testes, quando prováveis candidatos à doação de medula são compatíveis com algum paciente na lista de espera.

O diretor geral da Hemoba, Marinho Marques, recebeu o prêmio ao lado da coordenadora do setor de Captação de Doadores, Iara Matos. Na oportunidade, o diretor expressou toda a sua satisfação: "Dr. José Roberto Feresin Moraes foi o fundador do REDOME. É uma grande honra para a Hemoba receber este prêmio de cooperação ao REDOME. Mostra todo o compromisso da instituição, funcionários e parceiros com a vida. Receber este prêmio representa o reconhecimento de um trabalho que vem sendo realizado ao longo dos últimos anos, em todas as 27 unidades da Hemoba, além das campanhas externas. A direção geral da Hemoba agradece a todos que contribuíram para que a premiação fosse recebida".

O Brasil já soma 4 milhões de interessados em doar medula óssea e, a Bahia tem contribuído para esse acréscimo de forma considerável. Durante o ano de 2014, um total de 20.833 pessoas se cadastraram no Redome, já em 2015 foram 27.140 cadastros registrados, sendo que a meta estipulada pelo Ministério da Saúde é de 20 mil cadastros por ano para o estado.

Ascom Hemoba
/hemoba/redome

 

Youtube Flickr Facebook Twitter