Campanha visa reforçar estoques de sangue antes do Carnaval

Reforçar os estoques de sangue para garantir o atendimento durante o Carnaval. Com esse objetivo, a Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba) lançou nesta segunda-feira (6), na unidade sede, em Salvador, a campanha de conscientização para doações de sangue com o tema 'Não fique parado, doe sangue'. Direção, funcionários e pacientes de todas as idades se reuniram no auditório da Hemoba para marcar o início da mobilização que segue até os dias da folia.

Para não chegar ao Carnaval com os estoques abaixo da necessidade, a intenção da campanha, segundo o diretor geral da Hemoba, Marinho Marques, é impulsionar as doações antes da festa. "Nos períodos de grandes festas populares, como o Carnaval, existe o risco de termos uma demanda maior nos hospitais. As doações costumam cair nesse período porque as pessoas viajam, ingerem bebidas alcoólicas, acabam não doando e os estoques ficam reduzidos. Por isso, nossa campanha vem para sensibilizar as pessoas a doar", disse o diretor.

Com os estoques em níveis críticos desde o início do ano, a Fundação precisa com urgência de doadores de sangue dos tipos: A-, B-, AB-, O- e O+. Os tipos A+, B+ e AB+ estão estáveis, mas essa condição pode mudar de acordo com a necessidade. Durante a campanha, iniciativas como agendamento de grupos para doação, interação nas redes sociais e desenvolvimento de ações de entretenimento dentro do hemocentro coordenador serão realizadas buscando atrair mais doações.

No lançamento da campanha, dançarinos do grupo FitDance levaram animação para as crianças que são pacientes da Hemoba. "A dança faz bem, traz alegria e como nós temos um alcance muito grande no Brasil inteiro, estamos ajudando, também através da dança, a passar essa mensagem sobre a importância da doação. As crianças precisam e o Carnaval está aí e é um momento também para tocarmos as pessoas com essa ideia", reforçou a bailarina e instrutora do FitDance, Juliana Paiva.

Gesto que salva vidas

O policial militar Alex Figueiredo já transformou a atitude de doar sangue em uma rotina. "Sempre venho doar voluntariamente, há mais de dez anos. Eu me sinto muito bem com isso e me coloco no lugar do outro. Se eu estivesse precisando eu ia querer receber a doação, então se eu tenho condição de doar, eu faço isso. É muito compensador saber que posso ajudar outras pessoas", contou o militar.

Entre os atendimentos realizados no ambulatório da Fundação Hemoba, está o tratamento para crianças e adultos com anemia falciforme, que precisam receber sangue periodicamente. A dona de casa Rita de Cássia há quase dez anos vai todos os meses acompanhar o filho que necessita das doações para minimizar os efeitos da doença. "Se as pessoas não doassem sangue, meu filho não poderia fazer esse tratamento. Agradeço a todos que realizam esse ato de amor".

Para doar sangue, o candidato deve apresentar documento oficial com foto; pesar acima de 50 quilos; estar descansado (ter dormido pelo menos seis horas na noite anterior); não ingerir bebida alcoólica nas 12 horas anteriores; evitar comidas gordurosas nas quatro horas que antecedem a doação e ter entre 16 e 69 anos. Menores de 18 anos devem estar acompanhados por um responsável legal.
Secom
Hemoba/fitdance

 

Youtube Flickr Facebook Twitter