Patologias /

Espasticidade

Espasticidade

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas da Espasticidade (clique aqui)

CLASSIFICAÇÃO ESTATÍSTICA INTERNACIONAL DE DOENÇAS E PROBLEMAS RELACIONADOS À SAÚDE (CID-10)

– G04.1 Paraplagia espástica tropical
– G80.0 Paralisia cerebral espástica
– G80.1 Diplegia espástica
– G80.2 Hemiplegia infantil
– G81.1 Hemiplegia espástica
– G82.1 Paraplegia espástica
– G82.4 Tetraplegia espástica
– I69.0 Sequelas de hemorragia subaracnoidea
– I69.1 Sequelas de hemorragia intracerebral
– I69.2 Sequelas de outras hemorragias intracranianas não traumáticas
– I69.3 Sequelas de infarto cerebral
– I69.4 Sequelas de acidente vascular cerebral não especificado como hemorrágico ou isquêmico
– I69.8 Sequelas de outras doenças cerebrovasculares e das não especificadas
– T90.5 Sequelas de traumatismo intracraniano
– T90.8 Sequelas de outros traumatismos especificados da cabeça

Atenção: Para consultar as atualizações dos medicamentos e de CID-10 desta patologia, favor acessar o SISTEMA DE GERENCIAMENTO DA TABELA UNIFICADA DE PROCEDIMENTOS (SIGTAP)

 

ESTE FLUXO ESTÁ EM CONSTRUÇÃO

Medicamentos
  • TOXINA BOTULÍNICA TIPO A 100 U INJETÁVEL (POR FRASCO-AMPOLA)
  • TOXINA BOTULÍNICA TIPO A 500 U INJETÁVEL (POR FRASCO-AMPOLA)
Documentos necessários

Cópia de documento de identidade e CPF do paciente;

Cópia do comprovante de residência;

Laudo para Solicitação de Medicamentos do Componente Especializado (LME), adequadamente preenchido (deve ser renovado SEMESTRALMENTE);

Prescrição médica devidamente preenchida (deve ser renovada SEMESTRALMENTE junto com o LME);

Termo de Esclarecimento e Responsabilidade -TER; assinado pelo médico e paciente.

Relatório médico com CID-10, informando os seguintes dados:

1. Ausência de critério de exclusão para uso do medicamento, conforme PCDT de Espasticidade.

Exames para abertura de processo

Avaliação Clínica; 

Exame de B-HCG

Exames de monitoramento

A monitorização deve ser feita pelo registro de informações relevantes sobre o tratamento, como diagnóstico, grupos musculares abordados, doses utilizadas, avaliação de tônus e registro de efeitos adversos. Em doses adequadas, respeitando a técnica de aplicação e com profissionais experientes, constitui um tratamento seguro. O paciente ou o seu responsável deve ser orientado a procurar o médico imediatamente, se qualquer efeito indesejável surgir.

Observações

Recomenda-se que a confirmação do diagnóstico, o tratamento e o acompanhamento dos pacientes com espasticidade sejam feitos em serviços especializados e com profissionais capacitados para a aplicação de TBA. A equipe deve incluir médico(s) com especializa