Patologias /

Deficiência do Hormônio de Crescimento – Hipopituitarismo

Deficiência do Hormônio de Crescimento – Hipopituitarismo

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas da Deficiência do Hormônio de Crescimento – Hipopituitarismo (clique aqui)

CLASSIFICAÇÃO ESTATÍSTICA INTERNACIONAL DE DOENÇAS E PROBLEMAS RELACIONADOS À SAÚDE (CID-10)

– E23.0 Hipopituitarismo

Atenção: Para consultar as atualizações dos medicamentos e de CID-10 desta patologia, favor acessar o SISTEMA DE GERENCIAMENTO DA TABELA UNIFICADA DE PROCEDIMENTOS (SIGTAP)2

Site em Construção

Medicamentos
  • SOMATROPINA 12 UI INJETAVEL ( POR FRASCO-AMPOLA)
  • SOMATROPINA 4 UI INJETAVEL ( POR FRASCO-AMPOLA)
Documentos necessários

Cópia do Cartão Nacional de Saúde (CNS) do paciente;

Cópia de documento de identidade e CPF do paciente;

Cópia do comprovante de residência;

Laudo para Solicitação de Medicamentos do Componente Especializado (LME), adequadamente preenchido (deve ser renovado SEMESTRALMENTE);

Prescrição médica devidamente preenchida (deve ser renovada SEMESTRALMENTE junto com o LME);

Termo de Esclarecimento e Responsabilidade -TER; assinado pelo médico e paciente.

Relatório médico com CID-10, informando os seguintes dados:

1. Ausência de critério de exclusão para uso do medicamento, conforme PCDT de Deficiência do Hormônio de Crescimento - Hipopituitarismo.

Exames para abertura de processo

Crianças e adolescentes:

Laudo com informações clínicas: Idade, Peso e altura atuais, Peso e comprimento ao nascer,idade gestacional, Velocidade de crescimento no último ano ou curva de crescimento (preferencialmente)em crianças maiores de 2 anos; Estadiamento puberal; Altura medida dos pais biológicos.

Glicose de jejum

Hormônio estimulante da tireoide (TSH)

Tiroxina total ou livre (T4)

Laudo de Tomografia computadorizada (TC) ou Ressonância nuclear magnética (RNM) da região hipotálamo-hipofisária

Radiografia de mãos e punhos

Teste provocativo de secreção de GH (hormônio do crescimento) com datas e estímulos diferentes com valores (informar se foi realizado priming com estradiol ou testosterona);

Dosagem de IGF-1 (Somatomedina-C)

Adultos:

Laudo com informações clínicas: Idade, comprovação de deficiência prévia(se existente);fatores de risco para deficiência iniciada na vida adulta (traumatismo, irradiação no SNC,cirurgias no SNC, doenças que acometem o eixo hipotálamo-hipofisário).

Glicose de jejum

Hormônio estimulante da tireoide (TSH)

Tiroxina total ou livre (T4)

Laudo de Tomografia computadorizada ou Ressonância nuclear magnética (RNM) da região

hipotálamo-hipofisária (se necessário)

Teste provocativo de secreção de GH (hormônio do crescimento) com datas e estímulos diferentes com valores (informar se foi realizado priming com estradiol ou testosterona);

Dosagem de IGF-1 (Somatomedina-C)

Densitometria óssea

Perfil lipídico: colesterol total, colesterol HDL e triglicerídeos séricos

Exames de monitoramento

Medidas antropométricas. Periodicidade: a cada 3-6 meses.

Glicemia de jejum, TSH, T4, Exame radiológico para avaliação da idade óssea.

Periodicidade: anualmente.

Dosagem de IGF-1. Periodicidade: anualmente ou após mudança de dose.

Unidades de Referência

Capital

CEDEBA- Centro de Diabetes e Endocrinologia do Estado da Bahia

End: Av. Antônio Carlos Magalhães, s/nº, Edf. Professor José Maria de Magalhães Netto. Salvador/Ba.

Tel da farmácia: 3106-6069/3106-6040

Horário: 8h às 17h

E-mail: cedeba.farmacia@saude.ba.gov.br

Interior

Bases Regionais de Saúde e Núcleos Regionais de Saúde (antigas DIRES)

Fluxo de acesso para Salvador

Fluxo de acesso para Núcleos Regionais de Saúde (NRS) e/ou Bases Regionais de Saúde (BRS) - Antigas Dires

Observações

Os pacientes devem passar por avaliação diagnóstica e ter acompanhamento terapêutico com endocrinologistas ou endocrinologistas pediátricos, cuja avaliação periódica deve ser condição para a continuidade da dispensação do medicamento.

Recomenda-se a indicação de centro de referência para avaliação e monitorização clínica das respostas terapêuticas, decisões de interrupção de tratamento e avaliação de casos complexos e de difícil diagnóstico.

 

Data atualização: 08/03/2021