Planejamento

Missão

2012 – 2015
Contribuir para a universalidade do acesso as ações de vigilância laboratorial de interesse para a saúde pública e integralidade da atenção à saúde da população.
Descritores da missão:
• Universalidade do Acesso – constitui-se num direito de todos os cidadãos a uma atenção à saúde equânime, humana, resolutiva e de qualidade, que priorize o direito individual e coletivo, a participação e a gestão democrática e compartilhada das ações e/ou serviços de saúde pública.
• Vigilância Laboratorial – conjunto de ações transversais aos demais sistemas de vigilância em saúde, que propiciam o conhecimento e investigação diagnóstica de agravos e verificação da qualidade de produtos de interesse de saúde pública, mediante estudo, pesquisa e análises de ensaios relacionados aos riscos epidemiológicos, sanitários, ambientais e da saúde do trabalhador.
• Integralidade da Atenção à Saúde – princípio organizativo do SUS que estabelece direito de atendimento do cidadão de forma plena, mediante ações articuladas e coordenadas de promoção, prevenção e recuperação, com garantia da atenção nos três níveis de complexidade do sistema, integrando ações curativas e preventivas, individual e coletiva.

2016 – 2017
A partir de 2016 o LACEN-BA continua conectado ao processo evolutivo de transformações sociais, a partir do realinhamento estratégico da organização com as necessidades da sociedade, que crescem em volume e complexidade, exigindo mudanças no perfil de serviços e ações ofertados.
Face aos desafios de futuro o LACEN-BA inicia um novo momento no campo do planejamento com o foco na implementação da melhoria dos processos internos, já identificados no plano estratégico 2012-2015.

Visão

2012 – 2015
Ser até 2015, uma unidade de vigilância laboratorial articulada em rede, descentralizada e regionalizada, com excelência na gestão da qualidade.
Imagem Objetivo da Visão:
• Unidade de Vigilância Laboratorial
Laboratório Central de Saúde Pública (LACEN-BA), atuando como unidade de retaguarda especializada para realização de análises laboratoriais de média e alta complexidade.
• Articulada em Rede, Descentralizada e Regionalizada
Rede Estadual de Laboratórios de Saúde Pública (RELSP), coordenada pelo LACEN-BA e gerida compartilhadamente junto ao Laboratório Estadual do Centro de Referência em Doenças Endêmicas Pirajá da Silva (PIEJ – Jequié) e Laboratórios Municipais de Referência Regional (LMRR), localizados nos 28 municípios sede de microrregionais de saúde e nos municípios de Bom Jesus da Lapa e Luis Eduardo Magalhães, bem como Laboratórios Regionais de Vigilância da Qualidade da Água e Entomologia (LVQAE) sediados nas Diretorias Regionais de Saúde (DIRES), com envolvimento e participação colegiada dos 417 municípios do estado, observando-se os critérios de abrangência estabelecidos no Plano Diretor de Regionalização (PDR).
• Excelência na Gestão da Qualidade
Reconhecimento pela excelência das boas práticas de gestão em rede e manutenção no mais elevado nível de classificação estabelecida pelas Portarias GM/MS Nº 2.606 e 3.271.

2016 – 2017
A partir de 2016 o LACEN-BA continua conectado ao processo evolutivo de transformações sociais, a partir do realinhamento estratégico da organização com as necessidades da sociedade, que crescem em volume e complexidade, exigindo mudanças no perfil de serviços e ações ofertados.
Face aos desafios de futuro o LACEN-BA inicia um novo momento no campo do planejamento com o foco na implementação da melhoria dos processos internos, já identificados no plano estratégico 2012-2015.

Valores

2012 – 2015
O LACEN-BA compartilha coletivamente de crenças que espelham cotidianamente condutas desejáveis à ambiência social e ao desempenho profissional e organizacional, a saber:
• Respeito ao cidadão e ao seu direito à saúde
Todas as pessoas são cidadãos de direito e a saúde é um direito constitucional que se fundamenta nos princípios de universalidade, integralidade, equidade, participação e controle social.
• Acolhimento e cuidado humanizado
Escutar, dialogar, aceitar, incluir e reconhecer as pessoas e suas necessidades são atitudes que perpassam todos os níveis da organização e requer a construção de relações de confiança, entendimento e reciprocidade entre trabalhadores, gestores e usuários.
• Respeito às diversidades individuais e coletivas
Somos seres diferentes e como tal, o respeito à diversidade implica aceitar as diferenças étnicas, sociais, culturais, espirituais, religiosas, de gênero e de orientação sexual.
• Ética nas relações sociais e interinstitucionais
O estabelecimento de relações intra e interinstitucionais, devem ser fundamentadas nos valores de cooperação entre as pessoas e organizações, acolhimento das demandas e respeito no cumprimento dos prazos.
• Valorização e reconhecimento pessoal e profissional
Reconhecimento do valor social do trabalhador em saúde como pessoa, profissional e agente de transformação organizacional, promovendo o desenvolvimento contínuo de suas capacidades humanas e competências técnicas e gerenciais.
• Trabalho em equipe com gestão compartilhada e solidária
Atuação interdisciplinar, que requer integração, envolvimento, compartilhamento de práticas, saberes, decisões e comprometimento coletivo com o desempenho organizacional.
• Comunicação e transparência
Respeito ao direito individual e coletivo de expressão e compromisso ético com a publicidade das ações e prestação de contas à sociedade.

• Responsabilidade social e ambiental
Compromisso em atender as expectativas e necessidades da sociedade, contribuindo com ações, programas e/ou projetos que promovam o desenvolvimento social e ambiental.

2016 – 2017
A partir de 2016 o LACEN-BA continua conectado ao processo evolutivo de transformações sociais, a partir do realinhamento estratégico da organização com as necessidades da sociedade, que crescem em volume e complexidade, exigindo mudanças no perfil de serviços e ações ofertados.
Face aos desafios de futuro o LACEN-BA inicia um novo momento no campo do planejamento com o foco na implementação da melhoria dos processos internos, já identificados no plano estratégico 2012-2015.

Plano Estratégico do LACEN

2012 – 2015
• Plano Estratégico do LACEN-BA 2012-2015 (documento completo)
• Apresentação Slides sobre o Plano Estratégico do LACEN-BA 2012-2015
• Apresentação Slides sobre a História da Construção do Plano Estratégico
• Boletim da Estratégia, Ano I, Edição I.
• Boletim da Estratégia, Ano II, Edição I.
• Boletim da Estratégia, Ano II, Edição II.
• Boletim da Estratégia, Ano II, Edição III
• Boletim da Estratégia, Ano II, Edição IV.
• Boletim da Estratégia, Ano II, Edição V.
• Boletim da Estratégia, Ano II, Edição VI.
• Boletim da Estratégia, Ano II, Edição VII.
• Boletim da Estratégia, Ano II, Edição VIII.
• Boletim da Estratégia, Ano II, Edição IX.
• Boletim da Estratégia, Ano II, Edição X.
• Boletim da Estratégia, Ano II, Edição XI.
• Boletim da Estratégia, Ano II, Edição XII.
• Boletim da Estratégia, Ano III, Edição I.
• Boletim da Estratégia, Ano III, Edição II.
• Boletim da Estratégia, Ano III, Edição III.
• Boletim da Estratégia, Ano III, Edição IV.
• Boletim da Estratégia, Ano III, Edição V.
• Boletim da Estratégia, Ano III, Edição VI.
• Boletim da Estratégia, Ano III, Edição VII.
• Boletim da Estratégia, Ano III, Edição VIII.
• Boletim da Estratégia, Ano III, Edição IX.
• Boletim da Estratégia, Ano III, Edição X.

2016 – 2017
A partir de 2016 o LACEN-BA continua conectado ao processo evolutivo de transformações sociais, a partir do realinhamento estratégico da organização com as necessidades da sociedade, que crescem em volume e complexidade, exigindo mudanças no perfil de serviços e ações ofertados.
Face aos desafios de futuro o LACEN-BA inicia um novo momento no campo do planejamento com o foco na implementação da melhoria dos processos internos, já identificados no plano estratégico 2012-2015.