Eventos adversos Pós Vacinação

Eventos adversos Pós Vacinação

Apresentação

As vacinas pertencem a um dos grupos de produtos biológicos com excelente perfil de segurança, entretanto, como qualquer produto farmacêutico, podem apresentar efeitos indesejáveis, os chamados eventos adversos pós vacinais (EAPV). Eventos adversos são, portanto, qualquer ocorrência médica indesejada após o uso da vacinação, podendo ou não ter sido ocasionados por elas. Para esclarecer, as Unidades de Saúde que administram imunobiológicos (vacinas, soros e imunoglobulinas) devem notificar e investigar estas ocorrências e registrá-las no Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SIPNI-EAPV), para que sejam analisadas pelo nível estadual e nacional.
Chamamos este processo de Vigilância dos EAPV, esta atividade é sistemática em todo território brasileiro, para que sejam tomadas medidas de proteção, tanto individual quando coletiva, assegurando a melhor relação de risco/benefício para a população vacinada.
A grande maioria dos eventos associados ao uso dos imunobiológicos é trivial: febre, dor e edema no local da injeção. Manifestações graves como as convulsões febris e reações alérgicas tipo anafiláticas são bem menos frequentes.
Muitos destes EPAV são meras associações temporais, isto é, ocorreram ao mesmo tempo, mas não foram ocasionados pelo uso das vacinas. Assim, a investigação deve ser cuidadosa, visando o diagnóstico diferencial e o possível tratamento.

Pontos básicos para a investigação de EAPV:

1. Fatores relacionados à vacina: tipo (viva ou não viva), a cepa, o meio de cultura dos microrganismos, adjuvantes, estabilizadores ou substancias conservadoras, o lote vacinal;
2. Fatores associados aos vacinados: idade, sexo, número de doses, datas das doses anteriores da vacina, história de eventos adversos nas doses prévias, doenças concomitantes, doenças alérgicas, autoimunidade, deficiência imunológicas etc.
3. Fatores associados à administração: agulha e seringa, local e via de inoculação.

A diminuição dos EAPV com maior efetividade possível das vacinas, deve ser preocupação permanente e objeto de estudo de todos que são responsáveis pelas imunizações em todos os níveis de gestão.

Publicações

Manual de Vigilância Epidemiológica de Eventos Adversos Pós-Vacinação – 2014

Ficha de notificação e investigação de eventos adversos pós-vacinação

Campanha Influenza EAPV – 2019