Febre Amarela – Informações e Orientações

A febre amarela é uma doença infecciosa grave, transmitida por vetores, no caso mosquitos, e que tem alto potencial de disseminação. É causada por um vírus e possui dois ciclos de transmissão: silvestre e urbano. A diferença entre os dois ciclos é o tipo de mosquito transmissor.

Ciclo

Na cidade (ciclo urbano) a doença é transmitida pelo Aedes aegypti, mesmo mosquito que transmite a dengue, zika e chikungunya.

Ao longo das últimas décadas a febre amarela tem sido controlada no Brasil por meio do trabalho da Vigilância Epidemiológica que atua de forma preventiva, por meio da investigação e formação de barreiras imunológicas em locais considerados de risco, evitando a disseminação do vírus para outros locais.

Na mata (ciclo silvestre), os mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes transmitem o vírus. Apesar disso, o vírus transmitido é o mesmo, assim como a doença resultante da infecção. A febre amarela silvestre é comum em macacos, que são os principais hospedeiros do vírus.

Atenção!
Os macacos não transmitem a febre amarela para o homem. Eles nos alertam do perigo! Comunique imediatamente o serviço de saúde mais próximo se você identificar um macaco doente ou morto.

Sintomas

No mundo, a a febre amarela mata uma em cada duas pessoas que ela contamina. No Brasil, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde no dia 21 de fevereiro de 2018, foram confirmados 545 casos e 164 óbitos no período de 1º julho de 2017 a 20 de fevereiro deste ano, ou seja, 30% das pessoas que contraíram a doença vieram a óbito.

Tratamento

O tratamento da febre amarela é sintomático, ou seja, não existe tratamento específico e são tratados os sintomas que surgem por conta da presença do vírus no sangue. Este deve ser feito com uma cuidadosa assistência ao paciente que, sob hospitalização, deve permanecer em repouso, com reposição de líquidos e das perdas sanguíneas. Nas formas graves, o paciente deve ser atendido em UTI, com vista a reduzir as complicações e o risco de óbito. Formas graves devem ser diferenciadas de doenças como malária, leptospirose, febre maculosa e febre hemorrágica da dengue.

Municípios na Área de Risco

Alagoinhas, Alcobaça, Angical, Baianópolis, Barra, Barreiras, Barrocas, Belmonte, Biritinga, Bom Jesus da Lapa, Brejolândia, Buritirama, Camaçari, Campo Alegre de Lourdes, Canápolis, Candeias, Cândido Sales, Caravelas, Carinhanha, Casa Nova, Catolândia, Catu, Cocos, Condeúba, Cordeiros, Coribe, Correntina, Cotegipe, Cristópolis, Encruzilhada, Esplanada, Eunápolis, Feira da Mata, Feira de Santana, Formosa do Rio Preto, Guaratinga, Ibirapuã, Ibotirama, Ichu, Irará, Itabela, Itagimirim, Itaguaçu da Bahia, Itamaraju, Itanhém, Itaparica, Itapebi, Itarantim, Ituberá, Iuiú, Jaborandi, Jacaraci, Jucuruçu, Lajedão, Lauro de Freitas, Luís Eduardo Magalhães, Macarani, Maiquinique, Malhada, Mansidão, Mata de São João, Medeiros Neto, Morpará, Mortugaba, Mucuri, Muquém de São Francisco, Nova Viçosa, Ouriçangas, Paratinga, Paulo Afonso, Pedrão, Pilão Arcado, Piripá, Porto Seguro, Prado, Remanso, Riachão das Neves, Riachão do Jacuípe, Salvador, Santa Cruz Cabrália, Santa Maria da Vitória, Santana, Santa Rita de Cássia, São Desidério, São Félix do Coribe, São Felipe, São Francisco do Conde, São Gonçalo dos Campos, São Miguel das Matas, Saúde, Sebastião Laranjeiras, Serra do Ramalho, Sento Sé, Serra Dourada, Sítio do Mato, Sobradinho, Tabocas do Brejo Velho, Teixeira de Freitas, Tremedal, Urandi, Vera Cruz, Vereda, Vitória da Conquista, Wanderley, Xique-Xique.

Municípios contemplados pela Campanha de Vacinação 2018

Camaçari, Candeias, Itaparica, Lauro de Freitas, Mata de São João, Salvador, São Francisco do Conde e Vera Cruz