Saúde sem Boatos

O Brasil enfrentou em 2016/2017 um grande surto de febre amarela, envolvendo principalmente os estados da região Sudeste, com destaque para Minas Gerais e Espírito Santo. Todos esses casos são de residentes em zonas rurais ou que tiveram contato com áreas silvestres por motivos de trabalho ou de lazer.

A Bahia não teve casos nativos de febre amarela em humanos. O último caso registrado foi em 2000.

O óbito registado no Hospital Couto Maia foi um caso “importado”, ou seja, o paciente veio de Saõ Paulo já infectado e não era vacinado.

O Sistema Único de Saúde oferta vacina contra febre amarela para a população. A adoção da vacinação com uso de dose fracionada, tem caráter termporário e será implantada em oito municípios do estado (Salvador e Região Metropolitana), que somam elevado contingente populacional exigindo a vacinação da população em curto prazo de tempo, por apresentarem:

– Evidência de circulação do vírus da febre amarela
– Risco elevado de transmissão da febre amarela

A meta da campanha, que acontece de 19 de fevereiro a 09 de março de 2018, é vacinar pelo menos 95% da população não vacinada, residente nos oito municípios selecionados ( Camaçari, Candeiras, Itaparica, Lauro de Freitas, Mata de São João, Salvador, São Francisco do Conde e Vera Cruz).

O grupo vacinado com dose fracionada deverá receber uma dose de reforço, oito anos após o recebimento da dose fracionada. Essa dose deverá ser agendada na Caderneta de vacinação.

Atualizado em 15 de janeiro de 2018