Vacinação

A vacinação é hoje a forma mais eficaz de evitar a febre amarela. Devem vacinar-se pessoas que moram ou que vão viajar para áreas consideradas de risco pelo Ministério da Saúde ou de acordo com o calendário vacinal também estabelecido pelo Ministério.

Sobre a vacina

A vacina da febre amarela é composta do vírus vivo atenuado e tem eficácia acima de 95%. Após ser aplicada, podem ocorrer reações locais em até 10% das pessoas vacinadas como dor local e vermelhidão. Reações sistêmicas são raras.
– Não deve ser aplicada em crianças com menos de seis meses de idade e em mães amamentando até o 6º mês pelo risco de provocar encefalites causadas pelo vírus vacinal.
– Idosos, gestantes e imunodeprimidos só devem tomar a vacina com avaliação do serviço de saúde, considerando a relação risco x benefício de sua aplicação.
– Pessoas que possuem alergia severa a ovo também precisam ter o risco da aplicação avaliado.

Orientações para a vacinação contra a febre amarela

Para residentes em área com recomendação da vacina ou viajantes para essa área

A partir de 5 de abril de 2017, o Ministério da Saúde adotou a dose única da vacina contra a febre amarela para as áreas com recomendação de vacinação em todo o país.

Precisam se imunizar crianças a partir de nove meses e adultos até 59 anos, com apenas uma dose da vacina. Assim, a proteção está garantida para o resto da vida. Para quem ainda não foi vacinado, a orientação é receber a dose única. As recomendações são apenas para as pessoas que vivem ou viajam para as áreas de recomendação da vacina. A população que não vive na área de recomendação, ou não vai se dirigir a essas áreas, não precisa buscar a vacinação neste momento.

Quem deve tomar a vacina, com restrições
• Pessoas acima de 60 anos deverão ser vacinadas somente se residirem ou forem se deslocar para áreas com transmissão ativa da febre amarela e que não tiverem alguma contraindicação para receber a vacina.
• Gestantes (em qualquer período gestacional) e mulheres amamentando só deverão ser vacinadas se residirem em local próximo onde ocorreu a confirmação de circulação do vírus (epizootias, casos humanos e vetores na área afetada) e que não tiverem alguma contraindicação para receber a vacina.
• Mulheres amamentando devem suspender o aleitamento materno por 10 dias após a vacinação e procurar um serviço de saúde para orientação e acompanhamento a fim de manter a produção do leite materno e garantir o retorno à lactação.
• Pessoa vivendo com HIV/AIDS desde que não apresentem imunodeficiência grave (Contagem de LT-CD4+<200 células/mm3). Poderá ser utilizado o último exame de LT-CD4 (independente da data), desde que a carga viral atual (menos de seis meses) se mantenha indetectável.

Quem não deve tomar a vacina:
• Pessoas com imunossupressão secundária à doença ou terapias.
• Imunossupressoras (quimioterapia, radioterapia, corticoides em doses elevadas).
• Pacientes em uso de medicações anti-metabólicas ou medicamentos modificadores do curso da doença (Infliximabe, Etanercepte, Golimumabe, Certolizumabe, Abatacept, Belimumabe, Ustequinumabe, Canaquinumabe, Tocilizumabe, Ritoximabe).
• Transplantados e pacientes com doença oncológica em quimioterapia.
• Pessoas que apresentaram reação de hipersensibilidade grave ou doença neurológica após dose prévia da vacina.
• Pessoas com reação alérgica grave ao ovo.
• Pacientes com história pregressa de doença do timo (miastenia gravis, timoma).

Viajantes – Para turistas que forem se dirigir a uma área com recomendação de vacina – tanto estrangeiros quanto brasileiros – e que não nunca receberam nenhuma dose da vacina, a recomendação é que seja vacinado pelo menos dez dias antes da viagem, que é o tempo que a vacina leva para criar anticorpos e a pessoa estar devidamente protegida. Quem tomou a vacina em algum momento da vida, não precisa de nova dose.

Crianças – Se a criança tiver alguma dose do Calendário Nacional de Vacinação em atraso, ela pode ser aplicada ao mesmo tempo com a febre amarela, com exceção vacina tríplice viral (que protege contra sarampo, rubéola e caxumba) ou tetra viral (que protege contra sarampo, rubéola, caxumba e varicela).
Se a criança que não recebeu a vacina para febre amarela nem a tríplice viral ou tetra viral e for atualizar a situação vacinal, a orientação é receber a dose de febre amarela e agendar a proteção com a tríplice viral ou tetra viral para 30 dias depois.

Áreas com e sem recomendação de vacina da Febre Amarela. (Bahia, 2015 a 2017)
Por conta de casos confirmados de febre amarela no país, incluindo óbitos, a Bahia, em janeiro de 2017, decidiu ampliar a imunização para cidades que fazem divisa com o estado de Minas Gerais, além das já recomendadas pelo Ministério da Saúde.

Área com recomendação permanente de vacina

Angical
Cotegipe
Remanso
Baianópolis
Cristópolis
Riachão das Neves
Barra
Feira da Mata
Santa Maria da Vitória
Barreiras
Formosa do Rio Preto
Santa Rita de Cássia
Bom Jesus da Lapa
Ibotirama
Santana
Brejolândia
Itaguaçu da Bahia
São Desidério
Buritirama
Iuiú
São Félix do Coribe
Campo Alegre de Lourdes
Jaborandi
Sento Sé
Canápolis
Luís Eduardo Magalhães
Serra do Ramalho
Carinhanha
Malhada
Serra Dourada
Casa Nova
Mansidão
Sítio do Mato
Catolândia
Morpará
Sobradinho
Cocos
Muquém de São Francisco
Tabocas do Brejo Velho
Coribe
Paratinga
Wanderley
Correntina
Pilão Arcado
Xique-Xique

Área com recomendação temporária de vacina

Cândido Sales
Itanhém
Medeiros Neto
Condeúba
Itarantim
Mortugaba
Cordeiros
Jacaraci
Mucuri
Encruzilhada
Jucuruçu
Piripá
Guaratinga
Lajedão
Sebastião Laranjeiras
Ibirapuã
Macarani
Tremedal
Itagimirim
Maiquinique
Urandi

Área ampliada com recomendação temporária de vacina

Alcobaça
Itamaraju
Santa Cruz Cabrália
Belmonte
Itapebi
Teixeira de Freitas
Caravelas
Nova Viçosa
Vereda
Eunápolis
Porto Seguro
Vitória da Conquista
Itabela
Prado

ATENÇÃO!
POPULAÇÃO DE ALAGOINHAS E REGIÃO:

A vacinação na região de Alagoinhas foi intensificada pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia, considerando o resultado positivo para febre amarela de macaco capturado morto em Calu, área rural.
Aqueles que não possuem 2 doses da vacina da febre amarela devem dirigir-se ao posto de saúde mais próximo portando a carteira de vacinação para imunizar-se.

DEMAIS MUNICÍPIOS

Para os demais 337 municípios que não possuem recomendação para vacinação contra febre amarela, devem vacinar-se apenas as pessoas que viajarão para as áreas de risco, com apresentação de comprovação de viagem. A vacina deverá ser administrada no mínimo dez dias antes da viagem, que é o tempo necessário para garantir a proteção.

Municípios com Recomendação de Vacina na Bahia