Ovo, mocinho ou vilão?

O ovo foi considerado há um tempo como um dos grandes vilões da dieta, devido ao alto teor de gordura e colesterol. Entretanto, estudos comprovaram que não há diferença no risco relativo de doenças cardiovasculares entre indivíduos que consomem menos de um ovo por semana e indivíduos que consomem mais de um ovo por dia. Além disso, de 20 a 30% do colesterol sérico (do sangue) vem da alimentação, sendo o restante proveniente da síntese do próprio organismo.

O consumo de gorduras saturadas e trans é o principal fator de risco para doenças cardiovasculares, pois eleva o colesterol ruim (LDL) e reduze o colesterol bom (HDL). Atualmente, o ovo deixou de ser vilão e passou a ser considerado um alimento funcional, ou seja, que contém substâncias que beneficiam a saúde.

Propriedades

Preparo

Quanto ao preparo, o ovo pode ser consumido de qualquer forma, porém, a fritura não é indicada, pois é fonte de ácidos graxos trans, extremamente prejudiciais à saúde. Dê preferência para ovos cozidos, mexidos ou em forma de omelete e, no caso do preparo de ovo frito, utilize água ou uma frigideira antiaderente.

Cuidados

Conclusão

O ovo é um alimento que pode ser consumido todos os dias, em quantidade variável, de acordo com cada indivíduo, considerando suas condições de saúde e prática de atividade física. Devido ao seu perfil nutricional, o ovo deve fazer parte da dieta da maioria dos indivíduos, exceto daqueles que apresentam algum tipo de alergia ou intolerância.
A sugestão é procurar um Nutricionista, para avaliar a inclusão desse alimento em sua alimentação.

 

Patrícia Lira (CRN 1435)
Nutricionista clínica do Hospital Geral Roberto Santos (HGRS)
Pós-graduada em Nutrição Clínica